null
Reprodução: iG Minas Gerais
undefined

A ministra da Saúde da Argentina anunciou hoje que o uso de máscaras contra  covid-19 não será mais obrigatório no país a partir do dia 1º de outubro. Em entrevista concedida ao lado do chefe de gabinete Juan Manzur, Varla Vizzotti também afirmou que o país iniciará reabertura gradual das fronteiras.

"Levantamos a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre, circulando e sem aglomeração de pessoas", disse Carla. Em espaços fechados, como transporte público, cinema, teatro e escritórios, e eventos com aglomeração de pessoas, porém, a exigência está mantida.

A flexibilização está baseada na queda no número de casos diários, segundo a ministra. Em maio do ano, a Argentina registrava 26.000 diagnósticos por dia, em setembro, o número foi de 1.600, e do avanço da vacinação.

As estatísticas também vão possibilitar "uma abertura gradual e cuidadosa das fronteiras". A partir de hoje, argentinos, residentes e estrangeiros que chegarem ao país por motivos de trabalho não serão obrigados a cumprir cinco dias de quarentena, contanto que estejam com seu esquema vacinal completo.

Cidadãos de países vizinhos serão autorizados a visitar o país a partir de outubro sem quarentena, e em novembro, todos os estrangeiros vacinados com as duas doses serão incluídos na reabertura. Quem estiver com apenas uma dose, precisará ficar em quarentena.

Segundo o governo argentino, 63% de toda a população recebeu ao menos a primeira dose da imunização, e 43,7% já completaram o ciclo vacinal. Desde o início da pandemia, o país contabiliza 5,2 milhões de casos e mais de 114 mil mortes.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários