Bento Gonçalves, no RS, já tem quase 400 casos de norovírus
Reprodução/Redes Sociais Prefeitura de Bento Gonçalves
Bento Gonçalves, no RS, já tem quase 400 casos de norovírus

Em meio à pandemia da covid-19, a alta no número de contágios de uma outra doença no sul do Brasil chama atenção . O Norovírus, doença gastrointestinal de fácil contágio, já infectou mais de 2 mil pessoas no Rio Grande do Sul.

Muitos, no entanto, ainda têm poucas informações sobre o surto, que na última semana foi tema de um alerta emitido pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) do estado. Veja sobre o que se trata.

O que é o Norovírus?

O Norovírus é, como o próprio nome diz, um vírus que pode ser transmitido por meio da ingestão de água, por alimentos ou até mesmo de indivíduo para indivíduo. Os primeiros diagnósticos do que hoje é visto como um surto no RS foram feitos no fim de agosto.

O vírus pode apresentar resistência à quantidade de cloro presente na água tratada. Quanto mais material orgânico, maior as chances dele se proliferar.

O que causa o Norovírus?

Segundo a Secretaria de Saúde do RS, a doença está possivelmente associada à ingestão de água, mas o contágio de grau considerado alto pode também ocorrer por alimentos ou de indivíduo para indivíduo.

Quais os sintomas?

Os sintomas mais recorrentes são diarreia, dor abdominal ao evacuar, náusea, vômito e febre.

Como tratar?

Leia Também

Como outras doenças gastrointestinais, em casos de Norovírus, o indicado é consumir água apenas de fontes seguras e tratadas, ou filtradas. Em nota, a Secretaria de Saúde do RS orientou também que os cidadãos façam a limpeza das caixas d'água, para evitar a contaminação.

Aumentar a ingestão de líquidos para evitar a desidratação, principalmente de crianças e idosos também é uma das recomendações.

Caso os sintomas se agravem, a orientação é procurar pelo atendimento médico.

Onde ocorre?

Por enquanto, 25 municípios do Rio Grande do Sul já notificaram casos de Norovírus. Bento Gonçalves, com 394 casos e Santa Cruz do Sul, com 374, são as cidades com mais casos confirmados.

Como se prevenir?

Os cidadãos devem sempre se atentar para a origem da água que está sendo consumida. Caso a fonte seja desconhecida, vale ferver antes do consumo e do preparo de alimentos. O gelo também deve ser observado, feito a partir de água potável e/ou fervida.

Fazer a higiene das mãos da forma adequada também previne, principalmente após utilizar o banheiro, trocar fraldas, e antes de manipular alimentos.

Para quem já se infectou, vale se afastar das atividades de manipulação de alimentos e reforçar a higiene de objetos e pessoal, mesmo após o desaparecimento dos sintomas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários