vacinação na Itália
Reprodução/Fotos Públicas
vacinação na Itália

Os não vacinados representam 71% dos pacientes em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva), de acordo com a federação que representa os hospitais do país, a Fiaso (Federação Italiana das Empresas Sanitárias e Hospitalares).

Levando em conta apenas os imunizados que estão em terapia intensiva — os 29% restantes —, 84% completaram o primeiro ciclo de vacinação há mais de quatro meses e não tomaram o reforço recomendado.

"Os números permitem observar que essa é cada vez mais uma epidemia dos não vacinados", disse a entidade, afirmando que é preciso acelerar a aplicação das doses de reforço, que "representam um escudo importante contra a covid".

Até o momento, quase 78% da população da Itália  já concluiu o primeiro ciclo de imunização, enquanto 31% tomou a dose de reforço.

Menores de 18 anos

O número de internações de menores de idade com Covid-19 na Itália cresceu 46,7% em uma semana, ainda de acordo com a federação que representa os hospitais do país.

Leia Também

Segundo relatório da Fiaso, foram registradas 66 entradas de pacientes com menos de 18 anos em quatro hospitais pediátricos e nas alas de pediatria de outras 21 instituições do país entre 21 e 28 de dezembro.

Isso representa uma alta de 46,7% em relação à semana anterior.

Ainda de acordo com a Fiaso, 56% desses pacientes têm até quatro anos de idade, enquanto o restante têm entre cinco e 18 anos, faixa etária que já pode ser vacinada contra a covid-19 na Itália. 

Nenhum desses 66 internados havia concluído o primeiro ciclo de imunização contra o novo coronavírus.

O relatório da Fiaso também aponta um crescimento de 46% no número de internações de pacientes não vacinados contra a covid-19 (considerando todas as idades), enquanto a alta entre os imunizados é de 19%.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários