Ampola de Coronavac
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
Ampola de Coronavac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) analisou os dados enviados ontem (10) pelo Instituto Butantan sobre o uso pediátrico da Coronavac . O estudo conduzido pelo Ministério da Saúde chileno buscou avaliar a efetividade do imunizante no público infantil. 

Após a análise dos dados, a Agência solicitou, nesta terça-feira (11), esclarecimentos adicionais sobre o estudo de efetividade apresentado e deve se reunir com Instituto Butantan e representantes das sociedades médicas na próxima quinta-feira (13). 

A reunião será para discutir os dados e a definição de eventuais compromissos, em caso de autorização de uso da vacina.

A decisão do uso emergencial do imunizante será tomada pela Diretoria Colegiada, tendo como base os subsídios apresentados pela Gerência-Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos (GGMED) e pela Gerência de Farmacovigilância (GFARM).

Caso a maioria vote a favor da liberação, a Agência irá aprovar o uso emergencial da Coronavac para crianças de 5 a 11 anos.  O governo de São Paulo espera que a aprovação seja anunciada ainda nesta semana. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários