'Quero me meter na sua vida porque eu quero que você viva', diz Paes
Reprodução/PSD-RJ
'Quero me meter na sua vida porque eu quero que você viva', diz Paes

O prefeito Eduardo Paes fez uma transmissão ao vivo nas redes sociais nesta quarta-feira para reforçar a importância da vacinação contra a Covid-19 no momento em que os casos voltam a subir por conta da variante Ômicron. No vídeo, Paes destaca a matéria de O GLOBO que aponta 90% dos internados sem esquema vacinal completo. Ele comenta ainda sobre a perspectiva positiva de voltar à normalidade. Nesta quarta, o comitê científico da prefeitura se reúne para debater assuntos como carnaval, volta às aulas e retorno do uso de máscaras ao ar livre.

"Essa live é para chamar atenção. A gente vê essa manchete do GLOBO com dados aqui do Rio e eu não consigo entender a pessoa que não se vacina, que não toma a dose de reforço. Se não for por amor próprio, e nós te amamos, queremos você vivo, por favor, nos poupe de ter a rede de saúde (sobrecarregada), que já está há dois anos sofrendo. Estávamos voltando à normalidade, e temos que voltar a internar por Covid-19".

Paes também apontou a vacina como sinônimo de liberdade.

"Quero me meter na sua vida porque eu quero que você viva. Pode não votar em mim, não gostar de mim, problema seu. Mas eu quero que você viva. A vacina é liberdade, é o que permite a gente girar normalmente. Qualquer restrição depois desse tempo todo é muito difícil. A gente está chegando num momento delicado, mas que pode ser um ponto de virada".

Durante a transmissão, o prefeito citou uma matéria do jornal inglês "The Economist" com dados sobre a Ômicron no país europeu e lembrou que o Brasil está cerca de duas a três semanas de atraso em relação ao cenário pandêmico da Inglaterra no que se refere à nova cepa — o que indicaria uma relação entre os quadros. Segundo Paes, a publicação mostra uma taxa mais baixa de agravamento do que a variante Delta, como menos 74% de admissão em UTI e menos 91% de mortalidade.

Leia Também

"Ontem (terça-feira) começou a diminuir a admissão em hospitais por lá. E já estão chamando de início do fim da Ômicron. A perspectiva é muito positiva. Vamos ficar vivos! Vacinem-se, vejam o calendário e vamos cuidar das famílias e das nossas vidas para seguir em frente".

O prefeito comentou sobre os temporais que atingem o Rio e celebrou a manhã desta quarta, que amanheceu com sol, mas alertou para chuvas.

"A boa notícia é que o sol apareceu hoje. Mas vamos ficar atentos, porque parece que a previsão de chuva mais forte é ate amanhã", disse Paes que também indicou o site do Centro de Operações Rio (COR), da prefeitura, para que a população possa acompanhar as chuvas: "No site do COR tem um radar meteorológico. Há também um aplicativo".

Cerca de 40% dos internados não tomaram dose alguma

A variante Ômicron não explodiu nos hospitais, de acordo com os números disponíveis até agora. Um dos motivos, dizem autoridades e especialistas, é a vacinação, principal bloqueio contra a cepa. Mas a doença acaba encontrando uma brecha entre aqueles que não estão indo aos postos. De acordo com a Secretaria municipal de Saúde, 90,7% dos internados na rede SUS da capital não estão com o esquema vacinal completo (incluindo o reforço), e 38% sequer tomaram a primeira dose.

Apesar de não ser considerada uma variante agressiva, o número de hospitalizados na cidade vem crescendo dia a dia. Nesta terça-feira, eram 170 internados, 31% a mais que no dia anterior. O aumento é ainda maior se comparado ao dia 24 de dezembro, quando apenas 11 leitos estavam ocupados. Enquanto isso, os casos chegam a patamares jamais registrados na pandemia: nesta terça-feira, foram 10.489 diagnósticos registrados no estado. Na capital, entraram no sistema 9.315, o maior número desde a chegada do coronavírus ao Rio de Janeiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários