Registro de um leito para paciente Covid-19 em São Paulo
GOVSP
Registro de um leito para paciente Covid-19 em São Paulo

O novo boletim do Observatório Covid-19 Fiocruz, divulgado nesta sexta-feira, mostrou que todos os estados brasileiros estão marcados na cor verde, sinalizando que estão fora da zona de alerta com taxas de ocupação de leitos inferiores a 60%. É a primeira vez que todo o país está nesse estágio desde julho de 2020.

“O cenário atual é resultado do avanço na vacinação, com 82% da população com a primeira dose, 74% com o esquema de vacinação completo e 34% com a dose de reforço. Porém, este avanço precisa ser ampliado e acelerado para que se reflita em maior velocidade na queda das internações e óbitos”, diz o documento.

O boletim aponta que o cenário reflete a tendência de queda nos indicadores de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) e no número de óbitos diários por Covid-19. Os pesquisadores destacam ainda a necessidade de se ampliar a vacinação com a dose de reforço e a cobertura do público infantil para manter a desaceleração.

Para isso, o boletim reforça que é preciso uma busca ativa dos idosos que ainda não receberam a terceira dose, além da aplicação da quarta para os públicos elegíveis. O Ministério da Saúde orienta a aplicação do segundo reforço em imunossuprimidos e pessoas com mais de 80 anos. Em determinados estados, esse público-alvo envolve outras faixas etárias e profissionais da saúde.

Apesar da melhora, a Fiocruz considera que é “prudente” a manutenção do uso de máscaras em ambientes fechados, com grande circulação de pessoas, como transportes coletivos, e abertos com aglomerações.

Leia Também

“Estas medidas, combinadas com a ampliação da vacinação, atingindo regiões com baixa cobertura, e doses de reforço em grupos populacionais mais vulneráveis, podem reduzir ainda mais os impactos da pandemia sobre a mortalidade e internações”, acrescenta o boletim.

Segundo a Fiocruz, os números das últimas semanas epidemiológicas confirmam a manutenção da tendência de queda dos indicadores de Covid-19 no país, ainda que em menor velocidade. Essa redução aponta para um período de estabilidade nas próximas semanas.

Como mostrou o boletim do consórcio de veículos de imprensa divulgado nesta quinta-feira, atualmente a média móvel é de 269 óbitos por dia, número 42% menor que o cálculo de duas semanas atrás. O índice segue tendência de queda há 27 dias e, ontem, seis estados não registraram mortes pela doença.

A Fiocruz defende que o sistema de saúde aproveite o período de menor transmissão para readequar os serviços a fim de atender demandas que ficaram represadas pela alta de casos em estágios anteriores da pandemia.

Além disso, destacam a importância de se investir na “possível incorporação de medicamentos baseados em evidências científicas hoje disponíveis para o tratamento da Covid-19 moderada ou grave”. Alguns desses remédios, aprovados por agências reguladoras estrangeiras e sob análise da Anvisa, são o Paxlovid, da Pfizer, e o Molnupiravir, da MSD.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários