Surto Psicótico: o que acontece com o cérebro? Como é possível tratar?
Reprodução 17/05/2022
Surto Psicótico: o que acontece com o cérebro? Como é possível tratar?

O surto psicótico é um episódio passageiro no qual uma pessoa tem uma desorganização de como é a realidade. A pessoa em surto distorce o que se entende como representação social.

O psicólogo André Dória explica que o surto psicótico acontece quando um indivíduo rompe com a realidade compartilhada: “Se estamos numa sala e nós dois estamos vendo o mesmo vaso de plantas em uma mesa, esta é uma realidade compartilhada. Já a pessoa em surto vive uma realidade particular que, para ela, é real”, afirma o especialista.

A pessoa que está em surto psicótico tem tanta convicção de que está certa que é capaz de construir argumentos para convencer outras pessoas. Segundo a psicóloga Daniela Araújo, “a pessoa que está em surto acredita fielmente que essa lógica delirante é realidade. O episódio pode ser desencadeado a partir de algum gatilho, algo que se escutou, se viu, experimentou, algo químico, e geralmente acontece porque a pessoa já tem uma predisposição”, afirma.

E complementa: “Durante o delírio, que é uma interpretação própria da realidade, a pessoa pode acreditar que é Deus, que é famosa, que é casada com uma pessoa famosa, e a convicção é tamanha que ela pode construir ótimos argumentos”.

Do ponto de vista médico, o transtorno mental é uma condição que precisa de cuidado médico assim como qualquer outro quadro médico, como um quadro de hipertensão ou AVC, por exemplo.

O surto psicótico acontece por conta de uma alteração de neurotransmissores, sobretudo a dopamina, que é comum a condições psiquiátricas, como esquizofrenia, mania e depressão, ou condições clínicas, como encefalite.

Problema pode acontecer com qualquer um?

Segundo especialistas, em tese, qualquer pessoa está sujeita a um surto. “Há pacientes que nunca tiveram uma crise psicótica, mas que ao se separar em uma relação amorosa, quando perdem alguém da família, o emprego, desencadeiam uma psicose porque aquilo que falta, naquele momento, é o que mantinha o indivíduo organizado psicologicamente”, afirma André Dória.

Pessoas com transtornos psiquiátricos pré-existentes ou congênitos têm maior probabilidade de sofrer um surto psicótico. Episódios de surtos psicóticos podem ocorrer na esquizofrenia e outras psicoses semelhantes, mas também no transtorno afetivo bipolar, depressão com sintomas psicóticos e no transtorno de personalidade borderline.

Tratamento

O tratamento é feito por meio de medicamentos e abordagens multidisciplinares de suporte. Geralmente, em um primeiro momento, a pessoa precisa ser internada por se tratar de um espaço seguro e com acompanhamento profissional intensivo.

“O surto talvez seja o índice mais drástico de um transtorno mental. A ansiedade, por exemplo, não rompe a realidade compartilhada. Já o surto é a experiência mais solitária do sofrimento mental e, por isso, requer um cuidado especial”, diz o psicólogo André Dória.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários