Homem tem amostra coletada para teste de Covid-19 na China
Reprodução/NBC News
Homem tem amostra coletada para teste de Covid-19 na China

Neste sábado (28), as autoridades chinesas informaram que  Pequim deve facilitar a circulação em algumas áreas de baixo risco da capital a partir deste domingo (29), com o objetivo de permitir um retorno à vida normal.

Em entrevista coletiva, as autoridades disseram que os distritos de Fangshan e Shunyi podem passar do trabalho home office para o modelo presencial. Além disso, o transporte público — ônibus, táxis e metrô — vai retomar o serviço em três distritos. Shoppings também serão permitidos em algumas áreas.

A retomada para empresas, incluindo tutoria, cafés e bares de karaokê, ainda será adiada, de acordo com o governo.

Até a tarde deste sábado, Pequim já relatou 1.716 infecções de Covid-19, desde o dia 22 de abril.

A China está vivendo o pior momento da pandemia desde o fim de 2019, em uma onda pior do que a registrada no país no início da crise sanitária mundial. A situação em Pequim, com os temores de um lockdown,  derrubou as bolsas de valores em todo o mundo por conta do medo que a cadeia mundial de fornecimento de alimentos e mercadorias sofram mais uma vez com problemas de abastecimento.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários