Tamanho do texto

Assim como todas as outras tipologias de câncer é importante detectar o câncer oral numa fase precoce para o sucesso do seu tratamento

Apesar de muito frequentes, as formas de câncer na cavidade bucal são mais fáceis de prevenir do que muitos outros tipos de câncer. O de boca é definido pelo conjunto de tumores malignos que afetam qualquer localização da cavidade oral, dos lábios, céu da boca, glândulas salivares à garganta, incluindo as amígdalas e a faringe.

Leia também: Bruxismo: entenda o ranger dos dentes

É fundamental consultar o seu dentista pelo menos duas vezes ao ano para evitar surpresas com o câncer
shutterstock
É fundamental consultar o seu dentista pelo menos duas vezes ao ano para evitar surpresas com o câncer


É um tipo de câncer que se localiza mais frequentemente na mucosa abaixo da língua, bordo lateral da língua e no palato mole. Tendencialmente, este câncer desenvolve-se mais em homens do que em mulheres e atinge principalmente pessoas com mais de 40 anos de idade. O tabaco, combinado com o excesso de bebidas alcoólicas, é um dos principais fatores de risco.

Tal como todas as outras tipologias de câncer é importante detectar o câncer oral numa fase precoce para o sucesso do seu tratamento. Por isso, para além das idas regulares ao seu dentista, fique atento aos seguintes sintomas:

- Ferida nos lábios, gengiva ou no interior da boca, que sangra com facilidade e não melhora com o tempo, um caroço ou inchaço na bochecha que sente ao passar a língua, perda de sensibilidade ou sensação de dormência em qualquer parte da boca, manchas brancas ou vermelhas na gengiva, língua ou qualquer outra parte da boca, dificuldade em mastigar ou engolir, dor sem razão aparente ou sensação de ter algo preso na garganta, mudança na voz.

Leia também: Dr. Bruno Puglisi diz a Maria João como são feitas as lentes de contato dental

- Os procedimentos médicos neste tipo de câncer podem exigir desde cirurgias para a sua remoção, radioterapia ou quimioterapia. Contudo, os tratamentos variam sempre de paciente para paciente, pois cada caso é diferente e necessita de cuidados específicos.

O maior problema é o fato de existir elevadas taxas de diagnóstico em fases já muito avançadas da doença, dificultando ou impossibilitando de sua cura. É por este motivo que o câncer oral pode ser fatal, com uma taxa de sobrevivência estimada de cinco anos.

Leia também: Dermatologista Ligia Kogos conta a Maria João segredos de beleza

Existem algumas medidas preventivas que podem reduzir o desenvolvimento desta doença: proteger os lábios do sol; evitar o consumo excessivo de álcool e de tabaco; reparar os bordos ásperos de dentes quebrados ou das obturações, próteses mal adaptadas, comer alimentos ricos em vitaminas C e E e betacarotenos, como a cenoura e a manga.

Para além de todas estas medidas, é fundamental consultar o seu dentista pelo menos duas vezes ao ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.