Falsa agência do governo luta contra uso de máscaras nos EUA, grupo se autodenominada Freedom To Breathe Agency (Agência Liberdade para Respirar)
Redes sociais/@wittlelizzy
Falsa agência do governo luta contra uso de máscaras nos EUA, grupo se autodenominada Freedom To Breathe Agency (Agência Liberdade para Respirar)

Um grupo autodenominado Freedom To Breathe Agency (FTBA - Agência Liberdade para Respirar em uma tradução livre do inglês) está se passando por agentes federais na Califórnia e criando normas para que as pessoas não utilizem máscaras . Funcionários de várias lojas alegam terem sido intimidados pela FTBA. As informações são do Buzzfeed News. 

Alegando ser fundadora da FTBA, uma mulher que se identificou como Lenka Koloma intimidou uma funcionária que pedia para que ela usasse uma máscara de proteção individual no interior da loja. Lenka afirmou que não era obrigada a utilizar o equipamento e apresentou um documento da falsa Agência Liberdade para Respirar que defendia sua escolha.

"O pedaço de papel que eles me deram basicamente me dizia que eu poderia ir para a prisão por até 3 a 5 anos e poderia ser multada em até 10 mil dólares por dizer a eles para usarem uma máscara se eu não fosse médica", contou a gerente da loja, Liz Chavez.

Não é a primeira vez que Lenka Koloma age desta maneira. No canal do Youtube que leva seu nome, ela publica vídeos com declarações sobre outras vezes em que se passou por uma agente federal ou que tentou utilizar uma falsa constituição. O Departamento de Justiça dos Estados Unidos já alertou que a Freedom To Breathe Agency não é uma agência oficial do governo.

Isenção de máscara facial

Os casos de pessoas que não querem usar máscaras são populares nos EUA e vários vídeos mostram a abordagem violenta dos adeptos a não utilização. Aproveitando-se deste movimento, a FTBA criou e começou a vender cartões de  "isenção de máscara facial" fraudulentos, segundo agentes federais.

Os cartões continham erros de ortografia e empregavam de maneira incorreta o nome da lei que protege direitos de cidadãos americanos com deficiências. “Usar uma máscara facial apresenta um risco mental e/ou físico para mim. De acordo com a Lei dos Americanos com Deficiência (ADA), não sou obrigado a revelar minha condição a você.”, diz o material.

Cartão de
Departamento de Justiça dos Estados Unidos
Cartão de "isenção de máscara facial" fraudulento distribuído pelo FTBA

No cartão também lê-se uma advertência de que lojas e empresas podem ser denunciadas para a FTBA. Segundo o The New York Times, uma das versões também apresentava o logotipo do Departamento de Justiça americano e listava um número de telefone legítimo onde reclamações sobre violações da Lei dos Americanos com Deficiências (ADA) podem ser enviadas.

Lenka Koloma anunciou os cartões em sua página no Facebook e os vendia em um site, em caixas com pelo menos 500 unidades, por $49,99 dólares.


    Veja Também

      Mostrar mais