Di Maio explicou que o governo italiano assinou um acordo com vários países europeus que prevê 250 milhões de doses de vacina contra a Covid-19
Foto: Pixabay
Di Maio explicou que o governo italiano assinou um acordo com vários países europeus que prevê 250 milhões de doses de vacina contra a Covid-19


A Itália iniciará a campanha de vacinação contra a Covid-19 a partir de janeiro de 2021, informou o ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio.

"As primeiras doses da vacina vão chegar à Itália no final do ano. E, a partir de janeiro, vamos começar a vacinar", afirmou o chanceler durante a gravação do programa de TV "Acordo e Desacordos".

Durante a entrevista, Di Maio explicou que o governo italiano assinou um acordo com vários países europeus que prevê 250 milhões de doses de vacina contra a covid-19. "Vamos poder respirar e será um sinal de confiança também para os mercados mundiais", acrescentou.

Na semana passada, o ministro das Relações Exteriores havia anunciado que as primeiras doses do imunizante da Universidade de Oxford chegarão ao país até o final do ano.

Itália vive momento de alerta

A Itália vive um momento de preocupação devido ao aumento no número de novos casos de Covid-19.

No entanto, apesar do crescimento, o governo italiano descarta decretar um segundo lockdown nacional.

A Itália registrou 10.010 novos casos pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, disse o Ministério da Saúde. É a maior contagem diária desde o início do surto no país. O recorde anterior havia sido na quinta-feira (15), quando o país contabilizou 8.804 novas infecções.

O governo italiano impôs na última terça-feira (13) novas restrições a reuniões, restaurantes, esportes e atividades escolares em uma tentativa de diminuir o aumento de infecções.

    Veja Também

      Mostrar mais