Vigiar SUS deve ajudar em ações de reposta à pandemia no Brasil
Foto: Agência Brasil
Vigiar SUS deve ajudar em ações de reposta à pandemia no Brasil

O Ministério da Saúde apresentou hoje (29), durante uma coletiva de imprensa, um pacote de ações para ampliação da resposta à pandemia da Covid-19, ao custo de R$ 1,5 bilhão.

A pasta apresentou o programa "Vigiar SUS", e prometeu capacitar e habilitar profissionais de saúde, além da intensificar as ações de combate ao novo coronavírus (Sars-Cov-2).

Durante o anúncio, o Ministério da Saúde informou que para garantir o armazenamento das futuras vacinas contra a Covid-19, serão gastos R$ 88,3 milhões. 

Entre outras metas do plano, batizado de Vigiar SUS, está a ampliação, de 55 para 129, dos Centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs); chegar a 100% das salas de vacinas em municípios acima 100 mil habitantes tenham câmaras refrigeradas, no lugar de geladeiras, com autonomia mínima de 72 horas; e aumentar de 238 para 367 as unidades sentinela (que fazem a vigilância de vírus respiratórios no Brasil).

Questionado sobre o período para alcançar as metas definidas, o secretário de Vigilância em Saúde da pasta, Arnaldo Medeiros, afirmou que os trabalhos começam "agora", ressaltou que o orçamento está garantido, mas não informou qual o prazo previsto pelo governo para alcançar os objetivos traçados.

"A partir de agora nossas secretarias, junto com as secretarias estaduais e municipais, com toda a nossa rede de vigilância em saúde no Brasil, vão trabalhar para estabelecermos, tornar realidade na ponta a abertura desses CIEVs, da melhoria dos laboratórios, da formação do Episus (equipes de pronta resposta às emergências em saúde), enfim, de todos os eixos lançados no nosso programa Vigia SUS", disse Medeiros.

Medeiros foi então questionado sobre o que o plano traz de novidade, na prática, em relação ao que já existe no SUS. Ele voltou a enfatizar o valor previsto para as ações:

"Do ponto de vista de investimento, é o maior investimento em saúde da história do Ministério da Saúde do Brasil. De R$ 1,5 bilhão. Muito significativo para fortalecimento, ampliarmos e garantirmos uma capacidade de vigilância, atenção e resposta às emergências de saúde pública. Mudarmos a história, virarmos uma página, construirmos um caminho nunca antes trilhado", acrescentou.

    Veja Também

      Mostrar mais