Em maio, o Reino Unido firmou um acordo de compra de 100 milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Em maio, o Reino Unido firmou um acordo de compra de 100 milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford

O cronograma de entrega da vacina de Oxford/AstraZeneca está atrasado. É o que informou a chefe do programa britânico de aquisição de vacinas, na quarta-feira (3). Com isso, a previsão é que o Reino Unido só receba quatro milhões de doses neste ano.


Em maio, o Reino Unido firmou um acordo de compra de 100 milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e licenciada para a AstraZeneca. Na ocasião, a estimava era de receber 30 milhões de doses até setembro deste ano.

O chefe de testes de Oxford disse ter esperança de que os resultados do teste de eficiência de estágio avançado possam ser apresentados até o final do ano, e disse que doses da vacina já estão sendo fabricadas.

De acordo com uma reportagem da Reuters, Kate Bingham, presidente da força-tarefa de vacinas do Reino Unido, disse que a meta de 30 milhões de doses até setembro não foi atingida, e estimou que o país receberá quatro milhões de doses até o final de 2020.

"As previsões que foram feitas de boa fé à época estavam supondo que absolutamente tudo funcionaria e que não haveria nenhum tropeço", explicou ela a parlamentares.

Ainda segundo a Reuters, ela explicou que acelerar a fabricação normalmente exige anos. "Estamos começando com números baixos de doses --e com isso quero dizer milhões de doses, mas não dezenas de milhões de doses inicialmente-- e depois isso se acelerará, de forma que acabaremos com as 100 milhões de doses... na primeira metade do ano que vem", disse.

    Veja Também

      Mostrar mais