Candidato do Republicanos  chegou a dizer que se a vacina do Butantan é “tão boa assim, deveria começar a ser aplicada antes na China”, e afirmou que não quer que a população seja “cobaia”
Foto:Reprodução/Facebook
Candidato do Republicanos chegou a dizer que se a vacina do Butantan é “tão boa assim, deveria começar a ser aplicada antes na China”, e afirmou que não quer que a população seja “cobaia”

O Instituto Butantan rebateu as recentes declarações feitas pelo candidato à Prefeitura de São Paulo  Celso Russomanno (Republicanos) sobre os testes da vacina contra a Covid-19.

O candidato levantou dúvidas a respeito das etapas do ensaio clínico feito pelo instituto e questionou o porquê não havia aplicação em crianças, idosos e em pessoas com a doença. Ele chegou a dizer que se a vacina do Butantan é "tão boa assim,  deveria começar a ser aplicada antes na China", e afirmou que não quer que a população seja "cobaia".

A Coronavac é desenvolvida em uma parceria do Butantan com a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech. Por meio de nota, o instituto esclareceu que, ao contrário do que disse o candidato, vacinas não são testadas em pessoas doentes, mas são aplicadas para evitar que a doença se instale.

"A vacina Coronavac, e as vacinas de modo geral, são métodos profiláticos de comprovada eficiência de combate à disseminação de doenças. Vacinas não são utilizadas para tratamento de doenças, como sugerido ignorantemente pelo candidato, mas para evitar que a doença se instale", diz o Butantan.

O Butantan ressalta ainda que após o Brasil registrar mais de 160 mil mortes por Covid-19, "é fundamental evitar a disseminação inconsequente de teses obscurantistas que podem custar mais vidas".

    Veja Também

      Mostrar mais