Pelo menos 2 mil pacientes escolhidos aleatoriamente devem receber 150 miligramas de aspirina diariamente
Foto: shutterstock
Pelo menos 2 mil pacientes escolhidos aleatoriamente devem receber 150 miligramas de aspirina diariamente

A aspirina, medicamento anti-inflamatório usado contra dor, será testada como um possível tratamento para a Covid-19. A pesquisa será feita em um centro de estudos do Reino Unido, que examina uma variedade de tratamentos potenciais contra a doença, informou o site do estudo Recovery hoje.

O estudo vai avaliar se o analgésico aspirina pode ajudar a reduzir o risco da criação de coágulos de sangue perigosos em pessoas infectadas.

Os cientistas por trás do teste Recovery , que está testando uma variedade de possíveis tratamentos para o novo coronavírus, anunciou que a droga seria incluída na pesquisa, pois é comumente usada como um "afinador" de sangue. "Existe uma lógica em acreditar que a aspirina pode ser benéfica, e é segura, barata e amplamente disponível", disse Peter Horby, um dos líderes dos testes.

De acordo com uma reportagem da Reuters, pacientes infectados pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) possuem um risco elevado de desenvolver coágulos sanguíneos. A aspirina é um agente que diminui a produção de plaquetas e pode reduzir o risco de formação de coágulos.

A pesquisa vai envolver pelo menos 2 mil pacientes escolhidos aleatoriamente que devem receber 150 miligramas de aspirina diariamente, juntamente com outros medicamentos.

Os dados desses pacientes serão comparados com os de pelo menos outros 2 mil pacientes que recebem o tratamento comum para a Covid-19, sem acréscimos.

    Veja Também

      Mostrar mais