UTI
Rogerio Santana
Membros do governo de São Paulo descartam segunda onda da Covid-19 em SP

Questionado sobre a postura do estado de São Paulo diante de uma possível segunda onda da Covid-19 no estado, o coordenador executivo do centro de contingência da Covid-19, João Gabbardo, afirmou que "não dá para falar em segundo onda porque ainda não controlamos a primeira".

De acordo com o coordenador, que enxerga o comportamento da pandemia no estado de maneira otimista, a sazonalidade das doenças deve ser considerada, assim como picos temporários. "O Plano São Paulo está muito bem organizado para estabelecer as restrições conforme elas sejam necessárias", afirmou. Apesar disso, o profissional de saúde também não descarta um eventual aumento das regras de distanciamento social.

Segundo pesquisa realizada pelo Info Tracker - ferramenta desenvolvida pela USP e Unesp para monitorar o avanço da pandemia - entre os dias 1 de agosto 5 de novembro, houve um salto de casos suspeitos da doença na capital paulista. Além disso, o Hospital Sírio-Libanês voltou a atingir o pico de internações do início da pandemia.

Governo nega salto no número de casos 

Sobre o aumento de casos em muitos dos hospitais particulares, o secretário estadual de saúde, Jean Gorinchteyn, afirma que "nos dados oficiais não constam essas informações. Elas são discordantes de tudo que nós temos" e menciona a possível diminuição de leitos dedicados à Covid-19 após o pico da pandemia.

Apesar disso, Gorinchteyn destaca que a atenção às regras de higiente e distanciamento social não deve ser deixada de lado. "Não devemos deixar o cansaço vender o medo. O medo, neste momento, é o respeito às normas e o respeito à segurança", afirmou.

Sobre o mesmo tema, o governador João Doria (PSDB) destacou que muitos hospitais particulares recebem pacientes de outros estados do país. "Os grandes hospitais de São Paulo vêm recebendo semanalmente dezenas de pacientes de outros estados do país. É importante destacar isso para não incluir na conta de São Paulo os pacientes de outros estados", disse. 

    Veja Também

      Mostrar mais