HIV
shutterstock
Dia Mundial de Combate à Aids

Enquanto o mundo dedica olhares à pandemia da Covid-19, outra demanda da saúde chama atenção no mês de dezembro. Hoje, dia 1º, é o Dia Mundial de Combate à Aids. Ao longo do mês, a campanha de prevenção é marcada pelo Dezembro Vermelho, que desmistifica a infecção e o tratamento.

De acordo com o médico infectologista Victor Bertollo, do Hospital Anchieta de Brasília, um dos impactos mais graves da cultura de não falar sobre a Aids, é a falta de tratamento precoce. "Descobrir o HIV cedo muda muito a perspectiva e a qualidade de vida desses indivíduos", pontua. Ele complementa: "aqueles infectados pelo HIV podem não desenvolver aids (imunodeficiência) caso sejam tratados de maneira precoce".

O profissional de saúde ainda reforça que "é muito importante manter em mente que, hoje, a Aids é completamente evitável, por meio de medidas como uso de preservativo e cuidados com relação à transfusão de sangue, o não compartilhamento de agulhas e seringas, entre outras".

Apesar de ainda não possuir uma cura, a Aids pode ser controlada por meio do tratamento para o HIV, altamente eficaz. "É possível tornar a carga viral no sangue indetectável e, dessa forma, preservar a imunidade do indivíduo, mantendo uma qualidade de vida compatível com o restante da população", diz.

É importante lembrar, ainda, que a Aids é o estágio mais avançado da infecção pelo HIV, e surge quando a pessoa apresenta infecções oportunistas (que se aproveitam da fraqueza do organismo, como tuberculose e pneumonia) devido à baixa imunidade ocasionada pelo vírus.

"Outra grande vantagem do tratamento é que o risco de uma pessoa com carga viral indetectável transmitir o vírus para outra é praticamente zero, então ele não só protege o indivíduo HIV positivo dessas complicações e infecções oportunistas, como também evita a transmissão da doença", explica Bertollo.

Exames e prevenção podem ser feitos gratuitamente no Brasil

Além da conscientização, atitudes preventivas são fundamentais para evitar infecções por HIV. No Brasil, o Sistema Único de Saúde possui recursos voltados especificamente para o combate à Aids.

Além do uso constante de preservativos - que são distribuídos gratuitamente pela rede - e da testagem constante, que também é oferecida de graça,outro aliado da prevenção é a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), uma combinação de antirretrovirais que diminui a exposição ao vírus.

Pelo SUS, a PrEP é indicada prioritariamente para pessoas com maior risco de contração do vírus, com exposição constante ao vírus - como nos casos em que uma das pessoas do casal é soropositiva para o vírus e a outra não. Para receber o medicamento, é necessário passar por uma triagem, que deve ser agendada previamente em postos de saúde.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários