A média móvel de casos continua em alta pelo sexto dia seguido, com índice de 2.737 contaminados por dia
Foto: Reprodução: iG Minas Gerais
A média móvel de casos continua em alta pelo sexto dia seguido, com índice de 2.737 contaminados por dia

O Rio registrou, nesta quinta-feira, 127 mortes e 3.788 novos casos do novo coronavírus. Ao todo, são 365.185 infectados e 22.891 vidas perdidas pela doença desde o início da pandemia, em março.

A média móvel de casos continua em alta pelo sexto dia seguido, com índice de 2.737 contaminados por dia, e, assim como nos últimos dois dias, é o maior desde 22 de agosto.

Na rede de saúde, que, segundo especialistas, já está novamente em colapso, a situação é de muita pressão por leitos, sobretudo na capital, onde há 99% de ocupação nos leitos exclusivos para coronavírus ofertados pela prefeitura, e de 92% na rede SUS regulada pelo município. Em todo estado, há fila de 216 pacientes por vagas de UTI, 86% preenchidas.

Com os dados desta quarta-feira, a média móvel passa a ser de 71 mortes e 2.737 casos. Há aumento de 38% no número de novos infectados, em relação com 14 dias atrás. São 10,8 mil fluminenses com diagnóstico positivo apenas em três dias de dezembro, mais que o triplo do mesmo período em novembro.

Em relação à média móvel de óbitos, há uma queda de 36% na comparação com duas semanas, mas o cálculo é prejudicado pelas quatro datas em novembro em que os números de vítimas não foram atualizados devido a um problema no sistema do Ministério da Saúde. Neste momento, os dados que mostram com mais precisão a situação da pandemia no Rio são os que vêm dos hospitais. Há fila por leitos em todo o estado. Na capital, vagas estão cheias.

Pressão por leitos é grande em todo o estado

Levando em consideração apenas a rede municipal de Saúde, há ocupação de 99% nos leitos de UTI oferecidos para pacientes com Covid-19. São 286 vagas ocupadas, das 288 existentes hoje. Outros 398 estão em enfermarias.

Na rede SUS da capital, que inclui leitos de unidades municipais, estaduais e federais, a taxa de ocupação nas vagas de UTI exclusivas para Covid-19 é de 92% (566 internados) e de 85% nas enfermarias.

Ao todo, são 1.352 pacientes. Tanto no Rio, quanto na Baixada Fluminense, 330 pessoas estão na fila aguardando transferência para estas vagas, sendo 166 para UTI. Ou seja, a demanda por internações é maior que a oferta de vagas neste momento. A prefeitura, no entanto, destsaca que as pessoas que aguardam leito de UTI estão sendo assistidas em leitos de unidades com monitores e respiradores.

Em toda a rede estadual de Saúde, a situação é de lotação de 86% dos leitos de UTI para Covid e de 65% nas vagas de enfermaria. Levando em consideração toda a regulação estadual, há fila de 406 pessoas por leitos de coronavírus, sendo 216 para UTIs — casos mais graves. Estas pessoas podem ser reguladas para diferentes redes, seja ela municipal, estadual ou federal.

As cidades do RJ com mais mortes pelo coronavírus são:

  • Rio — 13.465 mortes
  • São Gonçalo — 863 mortes
  • Duque de Caxias — 851 mortes
  • Nova Iguaçu — 757 mortes
  • Niterói — 599 mortes
  • São João de Meriti — 532 mortes
  • Campos — 476 mortes
  • Belford Roxo — 354 mortes

Os municípios com mais casos de Covid-19 são:

  • Rio — 142.231
  • Niterói — 18.775
  • São Gonçalo — 16.567
  • Duque de Caxias — 11.976
  • Belford Roxo — 11.567
  • Macaé — 11.242
  • Campos — 9.977
  • Teresópolis — 9.932

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários