Governadores de diversos estados se reúnem hoje com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello
Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados
Governadores de diversos estados se reúnem hoje com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello

Em nova reunião com os governadores do Brasil, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello falou sobre a compra de vacinas e anunciou que já existe um Plano Nacional de Imunização definitivo. O encontro acontece um dia depois do governador de São Paulo, João Doria,  anunciar que haverá um Plano Estadual de Vacinação.

"O Plano Nacional de Imunização é nacional. Não pode ser paralelo. A gente tem que falar a mesma linguagem. Nós só temos um inimigo: o vírus. Temos que nos unir", disse Pazuello, de acordo com nota divulgada pelo Ministério da Saúde.

Durante a reunião, o ministro deu a entender que só será possível começar a vacinar os brasileiros em fevereiro, por causa do prazo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. "A Anvisa vai precisar de um tempo cumprindo essa missão. O registro gira em torno de 60 dias. Se tudo estiver redondo, teremos o registro efetivo da AstraZeneca no final de fevereiro, dando início à vacinação", explicou o ministro.

A pasta garante que seriam 100 milhões de doses no 1º semestre e mais 160 milhões no 2º semestre. Além disso, haverá 42 milhões de doses de alguma vacina que virão do consórcio Covax Facility.

Ou seja, o Sistema Único de Saúde tem a garantia de 300 milhões de doses para 2021. Cada indivíduo precisará tomar duas doses, portanto existem vacinas garantidas para 150 milhões de pessoas.

Pazuello destacou que só comprará outras vacinas se houver demanda. "Todas as vacinas que tiverem sua eficácia e registros da maneira correta na Anvisa, se houver necessidade, vão ser adquiridas. O presidente Jair Bolsonaro já deixou isso de forma clara", disse Pazuello para os governadores na reunião de hoje. O ministro também afirmou aos governadores que o Ministério da Saúde já elaborou a logística de distribuição nacional das vacinas, que será apresentada "em breve", segundo o comunicado.

Veja a nota oficial do Ministério da Saúde sobre a reunião

"O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, se reuniu com governadores de todo o país para fazer um balanço sobre o enfrentamento à Covid-19 no Brasil. O encontro ocorreu no Palácio do Planalto na manha desta terça-feira (08/12) com parte dos gestores participando presencialmente e parte de forma remota.

Pazuello conduziu a reunião reforçando o compromisso na aquisição de vacinas contra a Covid-19 e reforçou que o Brasil é um só quando se fala no Plano Nacional de Imunizações (PNI). "O PNI é nacional. Não pode ser paralelo. A gente tem que falar a mesma linguagem. Nós só temos um inimigo: o vírus. Temos que nos unir", disse.

O ministro citou os acordos já feitos pelo Governo Federal com o laboratório AstraZeneca (260 milhões de doses e insumos para fabricação) e a entrada no consórcio Covax Facility (42 milhões de doses): "O SUS já tem capacidade de 300 milhões de doses para 2021", disse.

O Governo do Brasil está aguardando a validação por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar a imunização de todos os brasileiros e brasileiras.

Enquanto isso, Pazuello afirmou aos governadores que o Ministério da Saúde já elaborou a logística de distribuição nacional das vacinas, que será apresentada em breve. "Todas as vacinas que tiverem sua eficácia e registros da maneira correta na Anvisa, se houver necessidade, vão ser adquiridas.

O presidente Jair Bolsonaro já deixou isso de forma clara", disse. "É muito importante que se sigam todos os passos. Quando falamos de saúde, não podemos abrir mão de eficácia, segurança e responsabilidade. Quando nós colocarmos uma vacina, seremos nós os responsáveis", explanou ainda Pazuello aos governadores.

Na reunião, também foram destacadas as tratativas do Ministério da Saúde com o laboratório Pfizer e com o Instituto Butantan, além dos prazos para o início da campanha de vacinação no Brasil conduzida pelo PNI, que será dividida em quatro fases. Pazuello destacou que 15 milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca - das 100 milhões acordadas - já começam a chegar em janeiro de 2021. "A Anvisa vai precisar de um tempo cumprindo essa missão.

O registro gira em torno de 60 dias. Se tudo estiver redondo, teremos o registro efetivo da AstraZeneca no final de fevereiro, dando início à vacinação", explicou o ministro. A intenção de compra é de 70 milhões de doses da vacina da Pfizer/Biontech. Pazuello pediu a união dos governadores e garantiu que o Ministério da Saúde está empenhado também na aquisição de seringas, agulhas e no reforço da rede de frios das salas de imunização. "Nós vamos vacinar todo mundo na maior velocidade possível", concluiu.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários