O investigador disse que a viagem a Wuhan, que termina na semana que vem, não trará a total compreensão sobres as origens da Covid-19, mas
Foto: shutterstock
O investigador disse que a viagem a Wuhan, que termina na semana que vem, não trará a total compreensão sobres as origens da Covid-19, mas "será um bom primeiro passo"

Ben Embarek, líder da missão da Organização Mundial da Saúde (OMS) que investiga a origem da pandemia na China, explicou nesta quinta-feira (4), que a ideia de que a Covid-19 saiu de laboratório é algo pouco provável, mas daria um bom roteiro para um filme. Peter Ben Embarek integra a equipe de 10 especialistas da OMS que chegou à China em janeiro deste ano.

A equipe visitou, na quarta-feira, o Instituto de Virologia de Wuhan. Segundo algumas acusações e o ex-presidente americano Donald Trump, o vírus teria saído de dentro deste instituto, por acidente ou não. "Se começarmos a seguir e perseguir fantasmas aqui e em outros lugares, nunca vamos chegar a lugar nenhum", disse Ben Embarek por telefone de Pequim, em entrevista à AFP.

A visita ao instituto foi "um passo importante [para] entender de onde vêm estas histórias", segundo o especialista em segurança alimentar, que trabalhou para a OMS em Pequim no início da década de 2010.

"E conseguimos, de forma racional [...] explicar por que algumas delas [dessas histórias] são totalmente irracionais, por que algumas delas podem fazer sentido, e por que algumas delas podem ser explicadas ou não", disse.

O Instituto de Virologia de Wuhan tem, desde 2012, um laboratório de alta segurança P4 para patógenos muito perigosos, que abriga cepas de vírus como o do ebola, que a OMS conseguiu visitar. Ben Embarek disse que teve "conversas muito francas" com os interlocutores chineses.

O investigador disse que a viagem a Wuhan, que termina na semana que vem, não trará a total compreensão sobres as origens da doença, mas "será um bom primeiro passo".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários