João Doria, governador de São Paulo
Foto: Governo de São Paulo
João Doria, governador de São Paulo

O governo de São Paulo anunciou hoje (24) novas medidas de endurecimento da quarentena em todo o estado. De acordo com o governador João Doria (PSDB), a restrição de circulação noturna é indicada para todas as cidades e será entre às 23h e 5h. A nova medida passa a valer a partir desta sexta-feira (26) e segue até o dia 14 de março.

A gestão estadual defende que a restrição de circulação após as 23h evita aglomerações em bares, restaurantes e eventos clandestinos, e que já teria impacto na redução da taxa de contaminação.

"Dado ao fato de que chegamos ao recorde de internados com Covid-19 no sistema hospitalar de São Paulo, o governo de São Paulo, atendendo expressa recomendação do centro de contingência, decreta restrição de circulação de pessoas das 23h às 5h em todo o estado, de 26 de fevereiro a 14 de março", disse o governador João Doria em coletiva de imprensa nesta quarta (24).

O principal motivo para o retorno das restrições mais rígidas é o aumento da média de ocupação de leitos de terapia intensiva no estado, que passou de 66% para 69% na última semana. Nesta semana, o estado atingiu seu maior número de internações em UTI desde o início da pandemia.

Até esta segunda (22), havia 6.410 pacientes internados em leitos intensivos. Antes, o maior número havia sido de 6.250, em julho de 2020.

Você viu?

Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 em SP, explica que o número de internações preocupa o estado. "Já estamos acompanhando e tinhamos uma preocupação com o período chamado de Carnaval no mês de fevereiro. Tomamos uma série de medidas para evitar aglomerações naquele período, grande parte da população respondeu a esse apelo, mas infelizmente na última semana estamos observando o aumento importante das internações em São Paulo", disse. 

O governo anunciou também que a fiscalização do toque de recolher será feita pela Vigilância Sanitária, em parceria com a Polícia Militar e o Procon.

"Há uma força tarefa de fiscalização, para que essas medidas sejam seguidas por todos. Isso vai ser feito em conjunto pelas vigilâncias sanitárias municipais e do estado, pela Polícia Militar e pelos Procons. E aqui temos o 0800 para denúncias da população 0800-771-3541”, afirmou o coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, o médico Paulo Menezes.

Fernando Capez, diretor executivo do Procon, explicou que o descumprimento da medida é passível de multa. "Sendo o fornecedor, aquele que está fornecendo o evento, remunerado direta ou indiretamente, ele será submetido a um processo administrativo no Procon que levará a aplicação de multas que podem chegar até R$ 10,26 milhões”, explica Capez.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários