Estudo avaliou eficácia da vacina contra três variantes do coronavírus
Reprodução
Estudo avaliou eficácia da vacina contra três variantes do coronavírus

A secretaria estadual de saúde de São Paulo e o Instituto Butantan anunciaram, nesta terça-feira (10), o estudo que confirma a eficácia da vacina Coronavac - desenvolvida pelo Butantan contra a Covid-19 - contra as novas variantes do coronavírus. A pesquisa foi realizada por ientistas do Instituto Butantan e da USP, no ICB (Instituto de Ciências Biomédicas).

“Essa é uma excepcional notícia da ciência, mas também para a vida. A vacina do Butantan imuniza os vacinados contra as novas variantes da Covid-19. Essa é mais uma comprovação da qualidade desta vacina, que hoje imuniza nove em cada dez brasileiros em todo o país”, comentou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

O estudo avaliou a interação da vacina contra as variantes P1 e P2, indentificadas pela primeira vez no Brasil, além das cepas descobertas no Reino Unido e na África do Sul. Todos os resultados apontaram para eficácia da vacina.

De acordo com o estudos preliminares, que analisaram amostras de 35 participantes vacinados na fase III, a CoronaVac apresenta uma vantagem em relação às demais vacinas na capacidade de netrualizar o vírus. O estudo completo, cm uma amostragem maior, ainda será divulgado.

Ainda segundo o Butantan, as vacinas compostas de vírus inativado, como a no caso da CoronaVac, possuem todas as partes do vírus. Isso pode gerar uma resposta imune mais abrangente em relação ao que ocorre com outras vacinas que utilizam somente uma parte da proteína Spike (proteína utilizada pelo coronavírus para infectar as células).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários