A pesquisa foi realizada na UFT (Universidade Federal Tocantins)
Fusion Medical Animation/Unsplash
A pesquisa foi realizada na UFT (Universidade Federal Tocantins)

Pesquisadores do Tocantins identificaram seis linhagens da Covid-19 circulando no estado. O estudo foi realizado pela UFT (Universidade Federal Tocantins) e mostra que, dentro desses seis genomas, dois são variantes do vírus amazonense, que é  transmitido com mais facilidade. As informações são do portal UOL .

"Variante é uma parte isolada do vírus cuja sequência do genoma difere daquela de um  vírus de referência. Já uma linhagem é um conjunto de variantes que se originaram de vírus ancestral comum. Quando você um tem um braço que fica mais distante dos outros genomas, ele se torna uma nova linhagem", explicou o virologista e professor na UFT, Fabrício Souza Campos.

De acordo com ele, essa caracterização genômica faz com que seja possível saber o tipo de vírus que está circulando em determinada região. O pesquisador disse que, primeiro, foi realizado o diagnóstico de  SARS-CoV-2 em 500 moradores da cidade de Araguaína, em fevereiro deste ano.

Dos resultados positivos, foram selecionadas as amostras com maior carga viral para o sequenciamento, que foi realizado na UnB (Laboratório de Baculovírus). "Após o sequenciamento, a montagem dos genomas e análises demonstrou a circulação de quatro variantes diferentes em seis genomas de SARS-CoV-2 Tocantinenses", afirmou o professor.

Ainda segundo ele, a identificação de variantes e de suas formas de manifestação é imprescindível na elaboração de estratégias de combate ao vírus. "Estudos preliminares demonstram que a variante P1 (a que surgiu primeiro em Manaus), por exemplo, apresenta uma maior capacidade de transmissão. Isso reforça a necessidade dos cuidados básicos como uso de máscaras, assepsia das mãos com álcool e o distanciamento físico".

A Secretaria de Saúde do Tocantins foi procurada pelo UOL , mas informou que ainda não foi notificada oficialmente sobre os resultados da pesquisa. Em nota, a pasta estadual disse que aguarda "a documentação para providenciar as notificações oficiais junto ao MS (Ministério da Saúde)".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários