Novos leitos de UTI precisam de profissionais para serem habilitados
Foto: Tempura/iStock
Novos leitos de UTI precisam de profissionais para serem habilitados

O Sindicato dos Médicos do Espírito Santo emitiu um alerta preocupante nesta segunda-feira (22). De acordo com o presidente, Otto Baptista, o estado corre o risco de não ter médicos capacitados para atender pacientes nos novos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), implantados no estado para tentar assistir aos infectados pela Covid-19.

Segundo Baptista, em entrevista ao Bom dia ES, da TV Globo, "Esses profissionais que estão na linha de frente, principalmente na UTI nos 770 leitos de norte ao sul do estado, estão com sua carga horária completa, ao máximo. Isso é uma preocupação nossa, em um momento que se fala de um colapso, faltam poucos leitos para chegar a 100%. Agora, se vier abrir novos leitos, a nossa preocupação é: Quem serão esses profissionais capacitados para trabalhar com esses equipamentos e medicamentos de alta complexidade?".

Além da falta de trabalhadores, o presidente do sindicato também repassou a queixa de que já faltam medicamentos e insumos em hospitais filantrópicos e públicos do Espírito Santo, o que aumenta os riscos da situação crítica. Atualmente, o Espírito Santo segue sob medidas de restrição para conter o avanço da Covid-19. Os índices, porém, seguem em crescimento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários