Frasco de vacina da Sputnik V, vacina desenvolvida na Rússia e em produção no Brasil pela União Química
Foto: Divulgação/União Química
Frasco de vacina da Sputnik V, vacina desenvolvida na Rússia e em produção no Brasil pela União Química

A União Química informou que concluiu o prieiro lote-piloto totalmente produzido no Brasil do insumo farmacêutico ativo (IFA) da Sputnik V, a vacina russa contra a Covid-19. 

De acordo com o comunicado, a produção foi possível por causa da transferência tecnológica do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) da Rússia para a empresa brasileira.

Mas, o lote não ficará no Brasil. Isso porque a empresa explicou que será integralmente enviado à Rússia para validação do imunizante.

Para poder ser integrado ao Plano Nacional de Imunização (PNI), a empresa, na sexta-feira (26), entrou com o pedido para uso emergencial do imunizante na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Mas, Anvisa informou que 18% do total dos documentos obrigatórios para a abertura do processo ainda não foram entregues e outros 18% também precisam de complementação.

"Conforme já divulgado pela Anvisa, não houve interrupção da análise da documentação apresentada, sendo que até o momento, a análise dos documentos está em 62%. A União Química segue em tratativas com os desenvolvedores da vacina para complementar as informações solicitadas pela Anvisa", pontuou a farmacêutica.

Até então, são 10 milhões de doses da Sputnik V incluídas no calendário de vacinação até final de junho, sendo que 400 mil deveriam chegar até esta quarta-feira (31).

A Sputnik V obteve autorização de uso em 58 países e tem eficácia comprovada de 91,6% contra a Covid-19. 

Fonte: G1

Você viu?

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários