De acordo com dados do Painel Abramed, entre março e julho de 2020, houve uma redução de 63,4% no total de mamografias realizadas no Brasil
Foto: shutterstock
De acordo com dados do Painel Abramed, entre março e julho de 2020, houve uma redução de 63,4% no total de mamografias realizadas no Brasil

Desde o começo da pandemia de Covid-19 a doença passou a ser a principal preocupação da população, e não é para menos, o número de mortos por coronavírus no Brasil aumenta a cada dia e o cenário parece longe de melhorar. Mas, com o vírus em alta, muita gente acabou deixando de ir ao médico para realizar exames de rotina e um desses é a mamografia, principal forma de prevenção e diagnóstico do câncer de mama.

De acordo com dados do Painel Abramed, entre março e julho de 2020, houve uma redução de 63,4% no total de mamografias realizadas no Brasil quando comparado ao mesmo período de 2019. A recomendação do Ministério da Saúde é que toda mulher com idade entre 50 e 69 anos realize o exame de prevenção a cada dois anos.

Câncer de mama

A diminuição desses exames pode levar a um aumento no número de casos graves de câncer de mama, uma vez que a descoberta precoce é um dos fatores determinantes para um tratamento bem-sucedido da doença. Uma pesquisa feita pelo IBOPE revelou que 73% das mulheres com mais de 60 anos disseram que iriam aguardar o fim da pandemia para realização do exame.

“Existem hoje dois cenários, um antes da pandemia, que estava indo muito bem, com um aumento do número de pacientes descobrindo o câncer de mama no começo da doença. Mas há também um cenário após o começo da pandemia, em que as mulheres passaram a ter medo de vir fazer o exame”, comenta a Dra. Viviane Milani, médica radiologista da FIDI, para o Olhar Digital.

A especialista ainda ressalta que nas últimas décadas houve mais informação sobre o câncer de mama circulando na mídia e as mulheres começaram a procurar mais fazer o exame. “Pelas mídias sociais as mulheres começaram a fazer o autoexame e a mamografia. Tinham várias campanhas, não só o outubro rosa, a gente estava vindo de um cenário bom”, explicou.

Você viu?

A médica ainda fala que atualmente estão sendo detectados mais tumores avançados. “Hoje estamos com mulheres chegando com módulos mais avançados de câncer de mama”, disse. Ainda segundo a Dra. Milani, é importante o exame pois nem todos os nódulos são cancerígenos e a mamografia é o primeiro passo para detectar isso.

“Muitas vezes a mamografia detecta nódulos muito pequenininhos, que no autoexame é impossível encontrar, por isso é tão importante (…) e os hospitais estão preparados com toda a segurança para atender as pacientes dentro do protocolo contra Covid-19”, finaliza.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários