A declaração de Harris acontece um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter descartado mais uma vez qualquer possibilidade de adotar um lockdown nacional
Foto: Divulgação/OMS
A declaração de Harris acontece um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter descartado mais uma vez qualquer possibilidade de adotar um lockdown nacional

Um dia após registrar um novo recorde de mortes por Covid-19, com mais de 4 mil óbitos em 24 horas, o Brasil voltou a receber um novo alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta sexta-feira (9).

A entidade faz mais um apelo para que o país adote medidas de restrição de circulação de pessoas, salientando que a experiência de outros países mostra que as medidas "funcionam". "Estamos profundamente preocupados [com o Brasil]. […] As medidas sociais funcionam e precisam ser aplicadas. Estas medidas funcionam pela mundo", disse a porta-voz da OMS Margaret Harris, em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (9).

O alerta de Harris acontece um dia após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ter descartado mais uma vez qualquer possibilidade de adotar um lockdown nacional. "Vamos buscar alternativas, não vamos aceitar a política do 'fique em casa, feche tudo', lockdown", disse Bolsonaro na terça-feira (8).

Na última semana, a alta no número de mortes no país foi de 24%, um ritmo duas vezes maior que a média mundial. Os dados também revelam que o país registra em média um terço das mortes diárias no mundo. "Sabemos que são medidas difíceis. Mas pessoas precisam apoio para evitar locais fechados, aglomerações. [...] Precisamos aumentar medidas sociais. Elas precisam continuar, mesmo enquanto as pessoas estão sendo vacinadas", disse Harris.

Sobre as novas variantes, Harris destacou também que influencia não só no aumento de casos e mortes no Brasil, mas também em outras regiões do mundo. "Estamos sendo informados diariamente sobre as variantes e estamos vendo que elas estão tendo um impacto no Brasil", destacou Harris.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários