Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan

O diretor do Instituto Butantan Dimas Covas criticou declarações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que segundo ele, impactam na chegada do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) da CoronaVac vindas da China.

“Embora a embaixada da China no Brasil venha dizendo que não há esse tipo de problema, nossa sensação, de quem está na ponta, é que existe dificuldade, uma burocracia que está sendo mais lenta do que seria habitual, e com autorizações muito reduzidas de volumes. Então, obviamente essas declarações têm impacto, e nós ficamos à mercê dessa situação”, declara ao Metrópoles.

Segundo informações, 10 capitais ao redor do país pararam vacinação da 2ª dose da CoronaVac por falta de estoque. Isso se dá porque o Instituto Butantan não conseguiu cumprir o prazo de entrega de 46 milhões de doses do imunizante, que estavam previstas até o final de abril.

Dimas Covas revelou que o Butantan receberia 6 mil litros do IFA até a próxima segunda-feira (10), no entanto, receberá apenas 2 mil até o dia 13, e o restante não há previsão de entrega.

Na última quarta-feira (5), o presidente Bolsonaro insinuou que a China pode ter criado o vírus da Covid-19 como parte de um plano de uma “guerra química”.

“Todas as declarações (de Bolsonaro) nesse sentido têm repercussão. Nós já tivemos um grande problema no começo do ano e estamos enfrentando de novo esse problema”, critica Covas.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários