Chanceler da Áustria, Alexander Schallenberg
BMEIA/ Gruber/ Fotos Públicas
Chanceler da Áustria, Alexander Schallenberg


A fim de conter a nova onda de Covid-19 que assola os países da Europa, o governo da Áustria decidiu impor um confinamento às pessoas não vacinadas ou que se recuperaram recentemente da doença. A medida, que já vinha sendo estudada , foi anunciada neste domingo (14) pelo chanceler Alexander Schallenberg.


"Não adotamos a medida de maneira leve, mas infelizmente é necessária", lamentou, em entrevista coletiva em Viena.


Segundo a AFP, o país tem quase 65% de sua população imunizada com as duas doses de uma vacina contra a Covid-19. O percentual é inferior à média europeia (67%) e de outros países do continente, como a Espanha (79%) e a França (75%).

Leia Também


Diante desses parâmetros, o chanceler avaliou o índice austríaco como "vergonhosamente baixo". Além disso, o país registrou mais de 13 mil novos casos de coronavírus neste sábado (13), seu maior número desde o início da pandemia.



Com a restrição imposta, todas as pessoas a partir dos 12 anos, que sejam afetadas pela medida, só poderão deixar suas casas para fazer compras, praticar atividades físicas ou receber atendimento médico. A agência afirma que as estratégias de controle não foram anunciadas. O resultado dessas restrições será avaliado depois de 10 dias.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários