Covid-19: Bolsonaro diz que opinou em consulta sobre vacinar crianças
Isac Nóbrega/ PR
Covid-19: Bolsonaro diz que opinou em consulta sobre vacinar crianças

presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta sexta-feira (24), em conversa com jornalistas no Palácio da Alvorada, que participou da consulta pública - disponibilizada pelo Ministério da Saúde - sobre a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19.

"Eu preenchi, como cidadão. Eu dei minha opinião lá", disse o mandatário. O questionário em questão foi lançado na noite da última quinta-feira (23).

As perguntas que os participantes responderão - após deixar seu nome e documentos de identificação - são as seguintes:

  • Você concorda com a vacinação em crianças de 5 a 11 anos de forma não compulsória conforme propõe o Ministério da Saúde?
  • Você concorda com a priorização, no Programa Nacional de Imunização, de crianças de 5 a 11 anos com comorbidades consideradas de risco para Covid-19 grave e aquelas com deficiência permanente para iniciarem a vacinação?
  • Você concorda que o benefício da vacinação contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos deve ser analisado, caso a caso, sendo importante a apresentação do termo de assentimento dos pais ou responsáveis?
  • Você concorda que o benefício da vacinação contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos deve ser analisado, caso a caso, sendo importante a prescrição da vacina pelos pediatras ou médico que acompanham as crianças?
  • Você concorda com a não obrigatoriedade da apresentação de carteira de vacinação para que as crianças frequentem as escolas ou outros estabelecimentos comerciais?

Segundo a pasta, o objetivo da medida é "informar e conhecer as dúvidas da população acerca da vacinação de crianças, com a finalidade de obter subsídios e informações da sociedade para o processo de tomada de decisões".


O ministério ressaltou que a proposta é necessária "por se tratar de público em pleno desenvolvimento" e por apresentar "lacunas ainda no que se refere a custo benefício desta vacinação considerando o cenário epidemiológico".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários