Taxa de testes positivos dispara 163% em maio
Reprodução: BBC News Brasil
Taxa de testes positivos dispara 163% em maio

A quantidade de casos de  Covid-19 voltou a crescer no Brasil diante do relaxamento de medidas restritivas, como o uso de máscaras. Essa piora no cenário epidemiológico já se traduz em unidades de saúde lotadas, com o aumento da procura por testes.

Levantamento do Instituto Todos pela Saúde (ITpS) mostra que a taxa de exames positivos para a doença passou de 13% para 34,3% em maio — um salto de 163%.

Em números, 1.576 dos 10.506 realizados em 30 de abril deram positivo. O montante saltou para 5.418 das 10.338 amostras em 28 de maio — mais da metade das análises. Agora, o patamar atual remonta aos registros de fevereiro, pico da variante Ômicron.

“(Esse aumento) é reflexo direto do aumento da transmissão, e, em consequência, das infecções, em grande parte, infecções pela variante BA.2 (da Ômicron)”, avalia o virologista e epidemiologista do ITps, Anderson Brito. “Isso (o relaxamento de restrições), sem dúvidas, favorece a transmissão.”


Testes moleculares apontam que a maior parte das infecções se dá justamente pela BA.2, mais transmissível que a Ômicron original. O ápice foi de cerca de 90% das amostras analisadas em 21 de maio.

Ao todo, pesquisadores avaliaram resultados de 255.426 testes de RT-PCR, considerado o padrão-ouro para detectar o coronavírus, realizados pelos laboratórios Dasa, DB Molecular e HLAGyn. A maior parte dos dados provém das regiões Sudeste e Centro-Oeste.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários