Com o isolamento social a convivência familiar aumentou consideravelmente, podendo criar situações conflituosas
shutterstock
Com o isolamento social a convivência familiar aumentou consideravelmente, podendo criar situações conflituosas

Durante a pandemia, com as crianças tendo aula de forma remota e os adultos de home office, a convivência familiar aumentou consideravelmente, tornando algumas relações conflituosas .

Nesses casos, é fundamental estabelecer uma comunicação assertiva e não violenta , pois educar vai além de estabelecer ordens e exigir obediência.

Apesar as crianças precisarem reconhecer a autoridade dos pais para que se tenham limites estabelecidos, responsabilidade e disciplina é necessário também que se tenha liberdade para conversar e expor opiniões e posicionamentos sem medo de um julgamento ou repressão.

Com a tecnologia, a atenção dos pais pode acabar sendo roubada por longas horas, mas eles precisam arrumar um tempo para fazer companhia aos filhos .

É importante separar um momento para se desligar das tecnologias e estabelecer um diálogo , brincadeiras e trocas de experiência com as crianças. Se não quer que a criança use o celular na hora das refeições, esse exemplo precisa ser dado.

Dar atenção aos pontos positivos , ressaltando as qualidades, é uma boa forma de melhorar o convívio. Ser crítico quando necessário, lembrando que jovens sujeitos a críticas de forma constante acabam tendo mais chances de desenvolver depressão e ansiedade . O ideal seria propor soluções para que o desenvolvimento possa ser feito de forma saudável.

Você viu?

Manter o tom correto é fundamental na hora de educar a criança, por mais que as vezes seja difícil, é necessário evitar gritar e ser desrespeitoso. Deixar claro o comportamento a ser esperado numa próxima vez e castigar de forma proporcional caso descumprido.

Além disso, escutar a criança é tão importante quanto dar carinho, além de estimular a confiança e autoestima, constrói uma relação de confiança . Por isso, é importante mostrar verdadeiro interesse e conversar de igual para igual, estimular diálogos sobre o dia e demonstrar que se importa com o que acontece.

Por mais que as vezes os pais não concordem com os filhos é necessário que espere que eles terminem de falar sem fazer pré-julgamentos antes.

Quanto mais os pais julgam, menos os filhos confiam para compartilhar sua vida, incluindo falhas, medos e inseguranças .

Para  participar da Semana da Saúde e obter informações, inscreva-se neste formulário e ainda ganhe 5 e-books, sobre os temas da Semana, gratuitamente, sem sorteio:


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários