Tamanho do texto

Caitlin Wilhe, de 19 anos, foi diagnosticada com gastroparesia, o que a causa atraso no esvaziamento do estômago, e com Síndrome de Ehlers-Danlos

Caitlin White, de 19 anos, foi diagnosticada com doença rara com 14, e desde então, vem fazendo tratamentos arriscados
Reprodução/Daily Mail
Caitlin White, de 19 anos, foi diagnosticada com doença rara com 14, e desde então, vem fazendo tratamentos arriscados

Uma adolescente escocesa vomita pelo menos 30 vezes por dia devido a uma doença rara no intestino. De acordo com o Daily Mail , Caitlin White, de 19 anos, foi diagnosticada com gastroparesia grave, o que a causa um "atraso no esvaziamento do estômago". 

Leia também: Conheça a bebê de dois anos que sofre de doença tão rara que nem sequer tem nome

White, que é de Perth, na Escócia, conta que, desde que descobriu a doença rara em seu organismo, tem realizado visitas frequentes a diversos hospitais, especialmente por causa da perda de peso aguda. Hoje, a jovem pesa 40 kg e, por conta das carências nutricionais, precisa realizar infusões de nutrientes, que podem levar até 12 horas por dia.

Como se já não sofresse o suficiente, esses processos de infusões frequentes afetaram o sistema imunológico dela, fazendo-na contrair diferentes infecções. “Também fui diagnosticada com sepse. Só neste ano, fui para o hospital sete vezes correndo risco de morte”, lamenta.

Caitlin, que está desnutrida e em risco de falência de órgãos, tem passado por “sessões” de nutrição parenteral total (NPT), que burla o sistema digestivo ao transportar nutrientes necessários diretamente para o fígado. O procedimento também apresenta riscos, uma vez que pode gerar mais infecções e coágulos sanguíneos.

Doença rara no intestino pode levar escocesa à morte em seis meses

Caitlin diz estar confiante em relação à sua melhora diante de doença rara e que planeja fazer faculdade de medicina
Reprodução/Facebook
Caitlin diz estar confiante em relação à sua melhora diante de doença rara e que planeja fazer faculdade de medicina

Depois de anos custeando o tratamento, White e sua família criaram uma campanha para levantar fundos que possam sustentar as despesas médicas. Em entrevista à BBC da Escócia, a garota diz que, mesmo com os cuidados, os médicos disseram-lhe que dentro de seis meses o impacto da doença em seu corpo pode levá-la a óbito.

Leia também: Óleo de coco é "puro veneno", diz professora de Harvard sobre riscos do alimento

Diagnosticada aos 14 anos, a condição da escocesa piorou rapidamente, havendo dificuldades para executar a infusão, que é composta por potássio, magnésio, ferro e fosfato. Afetando drasticamente a disposição da jovem, ela precisa se locomover em cadeira de rodas quando está fora de casa.

O distúrbio de White ainda faz com que ela sofra de constipação extrema, com ciclo de até sete semanas entre os movimentos intestinais. Como resultado, houve acúmulo de bactérias em seu intestino delgado.

Além da doença rara que afetou o estômago, Caitlin sofre de uma condição conhecida como  Síndrome de Ehlers-Danlos o que significa que seus músculos estão anormalmente frouxos, fazendo com que os tubos usados no tratamento caiam após serem cirurgicamente inseridos.

Leia também: Chinesa quase perde o pulmão direito após pata de lagostim se alojar no órgão

No entanto, mesmo com todas as limitações causadas pela doença rara , White afirma estar "otimista sobre seu futuro", e que estima uma melhora de sua saúde para que possa viajar e seguir uma carreira em medicina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.