Tamanho do texto

Depois de fazer tratamento em casa, homem voltou ao hospital e teve de amputar mão e antebraço, que estavam necrosando por causa de bactéria

Bactéria do peixe cru, ostras e mariscos é facilmente combatida, porém, pode haver complicações em alguns casos
shutterstock
Bactéria do peixe cru, ostras e mariscos é facilmente combatida, porém, pode haver complicações em alguns casos

Após comer peixe cru em um restaurante sul-coreano, um homem de 71 anos sofreu reações alérgicas graves, que o fizeram ter de amputar mão e antebraço. De acordo com o Daily Mail , horas depois de consumir a refeição, o idoso sentiu inchaço nos membros superiores e ainda notou o surgimento de bolhas e hematomas. 

Leia também: Chinesa quase perde o pulmão direito após pata de lagostim se alojar no órgão

Informações do New England Journal of Medicine apontaram que os sintomas sentidos pelo idoso resultaram de uma infecção causada pelo consumo de peixe cru . Os médicos relataram que, inicialmente, drenaram as bolhas e removeram o tecido infectado, liberando o homem para realizar um tratamento à base de antibióticos em casa.

Depois de algumas semanas, porém, o paciente retornou ao hospital localizado em Jeon, Coreia do Sul, com fortes dores e febre, além de apresentar nova bolha mau cheirosa na mão com o tamanho de uma bola de golfe. 

A equipe médica afirmou que a infecção foi potencializada por uma bactéria conhecida como Vibrio vulnificus  (ou vibrião), e que, devido ao apodrecimento das áreas afetadas, realizaram um procedimento cirúrgico para a amputação de todo o membro atingido. 

Consumo de peixe cru e outros frutos do mar podem gerar vibriose

Idoso passou por tratamento com antibióticos, mas voltou ao hospital com infecção causada por consumo de peixe cru
Reprodução/New England Journal of Medicine
Idoso passou por tratamento com antibióticos, mas voltou ao hospital com infecção causada por consumo de peixe cru

Na análise de caso publicada no jornal de medicina, o paciente contou que, 12 horas após consumir peixe, sentiu fortes dores nos braços e febre, porém, decidiu permanecer em sua casa, só procurando por ajuda médica após sua mão inchar e ficar coberta por pequenos hematomas. Ele contou que as lesões ficaram ainda mais intensas e se espalharam por todo o braço esquerdo.

Leia também: Doença estomacal rara faz escocesa vomitar 30 vezes por dia e rejeitar alimentos

Os responsáveis pelo tratamento do idoso expuseram que, além de ser diagnosticado com vibriose , ele também sofria de hipertensão arterial, doenças renais e diabetes tipo 2, o que possivelmente antecipou o quadro de necrose.

“As pessoas com diabetes correm um risco particular de complicações com úlceras cutâneas, porque a condição restringe o fluxo de sangue e nutrientes para a pele, de modo que leva mais tempo para cicatrizar. Em muitas situações, nenhum tratamento se mostra eficaz o suficiente para curar os ferimentos”, destacou a publicação.

Leia também: Pesquisadores pedem rejeição de patente de medicamento para hepatite C

Os médicos ressaltaram que a vibriose pode atingir 80 mil pessoas por ano, o equivalente a um caso a cada quatro mil. Eles alegaram que a bactéria do  peixe cru , ostras e mariscos é facilmente combatida, porém, pode haver complicações causadas por um sistema imunológico fraco, como o do sul-coreano. O paciente se recuperou bem da cirurgia e pode voltar para a casa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.