Tamanho do texto

Prefeitura de Duque de Caxias exonerou três médicos, dois enfermeiros, 12 técnicos e dois seguranças após o caso, que acabou indo parar na delegacia

Secretário municipal de Duque de Caxias, José Carlos de Oliveira, acompanha atendimento na UPA, após sua reabertura
Severino Silva / Agência O Dia
Secretário municipal de Duque de Caxias, José Carlos de Oliveira, acompanha atendimento na UPA, após sua reabertura

25 funcionários da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Beira Mar, em Duque de Caxias foram exonerados de seus cargos após serem flagrados dormindo durante uma inspeção surpresa do secretário de Saúde da cidade. O caso aconteceu na madrugada desta quarta-feira (2). Os profissionais trancaram as portas do estabelecimento enquanto descansavam.

Leia também: Febre amarela matou 84 pessoas no Rio de Janeiro em 2018

"Cheguei 3h e estava tudo apagado. Hoje deveria ter cinco médicos na UPA , mas só tinham três e estavam dormindo, incluindo a chefe da equipe, dois enfermeiros, 12 técnicos e dois seguranças. Fui procurar e onde estavam? Todos dormindo! Comecei a jogar cadeira pelo chão, fazer barulho e eles acordaram. Fomos todos para a delegacia e o jurídico vai tomar todas as providências. O prefeito determinou a exoneração de todos. Que fique de lição e vamos fazer isso novamente e, sempre que encontrarmos isso, serão exonerados", disse o secretário municipal de Saúde de Duque de Caxias José Carlos de Oliveira em entrevista ao jornal O Dia.

As imagens da unidade fechada e dos profissionais dormindo foram flagradas pelas câmeras de segurança do local. Apenas a equipe de limpeza e alguns seguranças circulavam pelo local, que estava de portas trancadas.

Ao chegar na unidade, o secretário se deparou com pacientes dando meia volta ao darem de cara com o portão fechado. A equipe de segurança do Hospital Moacyr do Carmo, que fica ao lado da UPA, estava orientado a população a procurar outra local para atendimento.

O caso foi parar na 59ª DP (Caxias), que vai investigar os funcionários pelo crime de omissão de socorro. Por conta do fechamento e a ida de todos os funcionários envolvidos para a delegacia, a prefeitura pediu reforço de outros profissionais e o atendimento só foi voltou a ser iniciado por volta das 7h, provocando grandes filas na UPA Parque Beira Mar. 

Leia também: Rio de Janeiro notifica três casos suspeitos e dois confirmados de malária

Ainda de acordo com a reportagem do O Dia, houve denuncias de que os funcionários haviam dado uma festa durante a madrugada, mas José Carlos de Oliveira negou a informação. O secretário já havia feito uma visita a UPA  do Parque Beira Mar horas antes de flagar a unidade fechada. Outros empregados relataram que estão há cerca de dois meses sem receber salário.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.