Tamanho do texto

Enfermeira de 51 anos passou 9 semanas em coma e quase perdeu a vida

A enfermeira Jayne Carpenter, do País de Gales, viu sua vida se transformar em drama após nove semanas no hospital. A mulher, que procurou o serviço de saúde para investigar uma tosse insistente, descobriu estar no estágio inicial de sepse - conhecida como infecção generalizada

mulher em sala de fisioterapia exige próteses de pernas mecânicas arrow-options
Reprodução/The Sun
Infecção generalizada fez com que Jayne perdesse dedos, braço e pernas

Leia mais: Homem quase morre por sepse após roer as unhas

A condição, inicialmente instalada nos pulmões, fez com que Jayne perdesse quatro dedos da mão direita, além do braço esquerdo e das duas pernas. As amputações - autorizadas pelo marido, Robert - eram a única forma de salvar a vida da mulher e aconteceram durante um coma de mais de dois meses. 

“Quando voltei do coma , eu disse que Robert poderia me deixar se quisesse, mas ele respondeu que não estava comigo por causa das minhas pernas ou braços, mas por me amar”, contou Jayne ao portal The Sun .

“Eu divido minha vida em duas partes: antes e depois da infecção generalizada ”, diz. Passados três anos desde o episódio que mudou sua história, a enfermeira conta que nem sempre foi fácil encarar a situação. “É um processo de luto. Eu vivi a perda de uma vida que costumava ter”. 

Leia mais: Mais da metade dos pacientes com sepse vai a óbito nas UTIs do Brasil

Jayne passou a viver um longo período com o auxílio de cadeira de rodas. Hoje, utiliza próteses mecânicas de pernas e braço para realizar as atividades básicas. Uma página na plataforma GoFoundMe reúne doações para uma cirurgia de osteointegração , uma espécie de implante das próteses, que permite uma redução da dor e do desconforto.