Tamanho do texto

Remédios ditos naturais causam efeitos colaterais como fisgadas no peito, tontura e dor de cabeça; saiba o que fazer para perder peso com saúde

O uso de medicamentos para emagrecer, que prometem a perda rápida e milagrosa de quilos extras, pode ser perigoso e prejudicial à saúde. Uma reportagem do “Fantástico”, apresentada no último domingo (15), mostrou o depoimento de duas mulheres que compraram, pela internet, remédios ditos naturais para emagrecer.

Leia também: Balão intragástrico é opção para emagrecer; saiba o que é e quem pode utilizá-lo

remédios para emagrecer arrow-options
shutterstock
Os remédios milagrosos para emagrecer podem causas vários efeitos colaterais, como formigamento pelo corpo e tontura

Como consequência, elas apresentaram vários efeitos colaterais, como fisgadas no peito, formigamento em algumas áreas do corpo, tontura, dor de cabeça, além de outros sintomas. Diante disso, vale destacar que o primeiro passo para não correr risco nos golpes de tratamento para emagrecer é não se automedicar.

"A obesidade é uma doença. Portanto, o tratamento tem que ser feito com orientação médica. Nada de tomar um remédio do vizinho ou algo vendido pela internet", destaca Livia Lugarinho Correa, endocrinologista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). 

A especialista reforça que o tratamento contra a obesidade é personalizado para cada paciente. Para ela, as pessoas acabam procurando fórmulas mágicas para emagrecer por não considerarem a obesidade como doença. Segundo a Organização Mundial de Saúde, 2,3 bilhões de pessoas possuem obesidade ou sobrepeso em todo o mundo. 

Riscos dos remédios falsos

Na composição dos falsos remédios que aparecerem no “Fantástico”, havia substâncias sintéticas de uso controlado: a sibutramina, que diminui a sensação de fome, e a fluoxetina, um antidepressivo.

A sibutramina é uma das quatro substâncias aprovadas pela Anvisa para tratamentos contra a obesidade. No entanto, seu uso só pode ser feito com receita médica. Os demais remédios são os que contém orlistate, lorcaserina e liraglutida 3mg.

De acordo com o delegado Rafael Gonçalves do Carmo, responsável pela investigação sobre a fabricação clandestina de falsos remédios para emagrecer — que culminou na prisão de 14 pessoas em Goias —, as substâncias de uso restrito usadas na confecção das cápsulas podem ter sido importadas do Paraguai.

"Mas temos indícios de que elas podem ter origem no território nacional, de empresas que mexem com medicamentos. Estamos fechando a primeira fase da investigação para poder seguir e identificar de onde vieram os produtos que eles utilizaram", pontua Carmo.

O que fazer, afinal, para emagrecer com saúde?

Algumas dicas podem ajudar na perda de peso sem trazer complicações sérias à saúde:

Procure por um especialista

Quem quer perder peso deve procurar um endocrinologista especialista em emagrecimento para receber as orientações necessárias parar eliminar os quilos extras de maneira saudável.

Remédio só na farmácia tradicional

Não aceite fórmulas feitas por manipulação. O médico deve recomendar os medicamentos que já foram aprovados pela Anvisa, pois estes apresentam comprovação científica.

Faça uma reeducação alimentar

Caso a sua alimentação seja rica em gorduras, sódio e açúcar, é preciso passar por uma reeducação alimentar, pois assim, será possível manter o peso depois do emagrecimento .

Leia também: Truques básicos (e infalíveis) e trocas para comer de tudo e ainda emagrecer

Inclua exercícios na rotina

O sedentarismo é um dos pilares que contribuem para a obesidade. Se você não faz nenhuma atividade física, procure alguma que lhe agrade e pratique.