Durante o verão, o corpo humano perde bastante água. Se essa condição é associada ao pouco costume de se hidratar, não é difícil que o corpo produza as famosas pedras nos rins . Motivo de internação do apresentador Milton Neves , elas podem ser silenciosas e causar dor de forma repentina.

Leia mais: Câncer renal é silencioso? Pedras no rim podem virar tumor? Entenda a doença

As pedras no rim podem causar dores muito fortes quando se movimentam e obstruem a passagem dos canais urinários
Reprodução
Milton Neves foi internado por pedra nos rins

Como se formam as pedras nos rins?

As pedras nos rins nada mais são do que calcificações de pequenos cristais na urina . Segundo o urologista da Unifesp e do Hospital Albert Einstein Alex Meller, esses cristais são bem comuns de serem encontrados e podem formar pedras de diversas maneiras.

Uma das possibilidades que causam as pedras é uma urina muito saturada de cristais, ou seja, com líquido insuficiente . Alex explica isso de forma simples: quando colocamos açúcar para dissolver na água, parte do ingrediente é dissolvida, enquanto outra fica concentrada no fundo do copo. O mesmo acontece quando a urina fica saturada de cristais.

Outra alternativa é explicada pelo fato de que possuímos, na urina, substâncias formadoras de cálculo e outras que o inibem. Uma pessoa com a função renal completamente saudável mantém um equilíbrio entre essas substâncias. Mas as que têm  alterações genéticas podem sofrer um desequilíbrio e formar mais cristais que o necessário - dando origem às pedras. 

Os cristais vão se calcificando dentro dos cálices do rim, que são regiões ocas, e lá se formam de modo assintomático. Quando a pedra atinge um tamanho muito grande ou passa a se mover, são ocasionadas as cólicas renais . Elas acontecem quando a passagem das vias urinárias é obstruída por conta da pedra.

Sintomas

As cólicas renais são o primeiro sintoma das pedras. Conforme o que afirma o médico nefrologista Bruno P. Biluca, do centro de nefrologia Fenix Alphaville, a dor normalmente se inicia na região lombar e pode irradiar para a parte da frente do abdômen.

O paciente também pode apresentar urina com coloração avermelhada, que frequentemente indica presença de sangue.

Formas de prevenção

1. Prevenção Geral 

De acordo com Alex, existe a prevenção geral, que independe do paciente, e as prevenções mais específicas. No caso da prevenção geral, ele dá algumas recomendações:

  • Aumentar a quantidade de líquidos no organismo

Os líquidos recomendados nesse caso são a água e principalmente as bebidas cítricas. Entretanto, é extremamente indicado parar de tomar refrigerantes e chá-preto. 

  • Fazer uma redução de sódio 

O sódio pode estar presente no próprio sal ou nos conservantes dos alimentos. Por exemplo, enlatados, embutidos, comidas congeladas e fast food costumam ter bastante sódio. O ideal é evitar esses itens e comer alimentos menos salgados. 

  • Reduzir o excesso de proteínas

A proteína que se deve reduzir é a proteína animal. Com relação à proteína do leite, por exemplo, a recomendação é apenas de não exagerar. Normalmente, comemos muito mais proteínas do que precisamos, conforme Alex afirma. Se pesamos 70 kg, ingerir 70g de proteínas por dia já é suficiente.

Leia mais: Os perigos ocultos da ingestão de suplementos de proteína

Se você só teve pedra uma vez na vida, teoricamente não precisa fazer uma investigação profunda para saber qual a natureza dessa pedra. Entretanto, se você teve mais de um quadro e/ou vem de uma família que tem histórico de problemas renais, deve investigar.

2. Prevenções específicas

As prevenções específicas são feitas a partir de uma pesquisa e receitas específicas. Se as pedras são causadas por muito cálcio, há remédios para reduzir o cálcio. Se são resultado de pouco citrato, o ideal será utilizar medicamentos que aumentem os níveis de citrato. 

Chá de quebra-pedra funciona?

O chá de quebra-pedra pode ser indicado para expelir as pedras%2C mas apenas com a permissão do médico que está tratando o caso
shutterstock
O chá de quebra-pedra pode ser indicado para expelir as pedras, mas apenas com a permissão do médico que está tratando o caso


O chá de quebra-pedra ajuda a expelir os cálculos renais, desde que se trate da planta  Phyllanthus niruri . O que acontece muitas vezes é que as pessoas compram chás pensando que se tratam do "quebra-pedra", mas, na verdade, não possuem essa substância.

Também é comum que o paciente adquira esses chás e passe a tomar muito líquido por conta disso. Se ele não tinha esse costume antes, vai se hidratar e às vezes, expelir a pedra por conta da hidratação, e não em razão das propriedades do chá.

Porém, o ideal é que o chá apenas seja ingerido depois de passar num médico e com a autorização dele. 

Tratamentos

Os tratamentos das pedras nos rins vão depender do tamanho delas:

  • Cálculos de até 5 milímetros

Apenas acompanhamento, observação médica e melhora na alimentação, fazendo as restrições alimentares citadas acima (ingerir mais água e parar de beber refrigerante, reduzir sódio, reduzir proteína animal).

  • Cálculos entre 5 e 10 milímetros

Litotripsia extracorpórea: o procedimento é um tratamento ambulatorial que tem o objetivo de reduzir o tamanho dos cálculos através de ondas de choque, que acabam por "triturar" as pedras. Ela é feita por fora do corpo do paciente e não é invasiva.

  • Cálculos de 10 a 20 milímetros

Ureteroscopia ou ureterolitotripsia: esse é um tratamento que já é mais invasivo e precisa ser feito por dentro do rim, no canal da uretra, onde a pedra é quebrada com um laser. Nesse caso, o procedimento conta com anestesia e não são necessários cortes ou incisões.

  • Cálculos acima de 20 milímetros

Nefrolitotripsia percutânea: procedimento cirúrgico em que é feita uma punção do rim por agulha, ou seja, um "furo no rim" pelo qual é introduzido um fio guia. Esse fio garantirá o trajeto entre a pele e o interior do rim. Então, é introduzido um tubo e através dele o médico consegue chegar no rim e quebrar as pedras.

Leia mais: Unhas podem refletir problemas como falta de vitaminas e doença renal

O que acontece se não for tratado?

No caso de não ser feito nenhum tratamento, a primeira consequência é que o paciente poderá sentir muita dor. Mas, além disso, as pedras no rim podem causar infecções urinárias, sangramento urinário e até mesmo perda da função renal, num quadro mais grave. 

    Veja Também

      Mostrar mais