RIO - Com uma velocidade inesperada, o coronavírus está se espalhando pelos países da América Latina. Em 3 de março passado, o governo do presidente argentino, Alberto Fernández, confirmou o primeiro caso de contágio no país e hoje o número já chega a 20.

coronavírus arrow-options
Agência Brasil/Fernando Frazão
Coronavírus causou nova morte na América do Sul

A Argentina registrou o primeiro caso de morte por coronavírus no continente. O segundo ocorreu no Panamá, comunicaram nesta quarta-feira autoridades locais.

O coronavírus já chegou a 13 países da região: Equador, México, Brasil, Argentina, República Dominicana, Chile, Peru, Colômbia, Costa Rica, Paraguai, Panamá, Bolívia e Honduras. Em todos, as  medidas de controle foram reforçadas, em alguns casos, de forma extrema.

A Casa Rosada informou a aprovação de um decreto presidencial que prevê tratar como delito de "atentado à s aúde pública " quem não cumprir o isolamento de 14 dias após retornar de países onde o vírus já circula internamente, como Itália, França, Espanha e China.

Especialistas locais, como o infectologista Eduardo López, consideram que as iniciativas são adequadas já que "o distanciamento social é necessário nesses casos".

Leia mais: O que falta para a chegada da vacina contra o coronavírus? Tire suas dúvidas

Em toda a região, médicos pedem um controle rigoroso nos aeroportos, já que os casos confirmados na América Latina foram importados de outros continentes.

A pandemia deve levar a Confederação Sul-americana de Futebol (Conmebol) a suspender os jogos das eliminatórias da Copa de 2022 pelo menos no mês de março. Na Venezuela, o governo de Nicolás Maduro comemora estar supostamente livre do vírus, mas médicos que alertam a população são ameaçados e perseguidos pelas forças de segurança e Justiça, segundo denúncia de um profissional de saúde.

Argentina

O ministro da Saúde, Ginés González Garcia, foi alvo de uma exurrada de críticas por afirmar, há alguns dias, que o coronavírus "ainda demoraria" para chegar ao país. Em uma semana, o número de pessoas contagiadas subiu de 3 para 20, e um dos pacientes, um homem de 64 anos, faleceu. Foi a primeira morte provocada pelo vírus no continente.

Depois de minimizar o problema, a Casa Rosada reagiu às críticas e à evolução vertiginosa do coronavírus, aprovando um decreto presidencial que trata como delito o não cumprimento do isolamento de 14 dias para quem chegar de países europeus, Estados Unidos e China, entre outros. A condenação pode oscilar entre três e cinco anos.

O governo argentino está avaliando suspender todos os voos que conectam o país com a Itália. Também foram suspensos alguns jogos de futebol. No caso dos idosos, o Ministério da Saúde recomendou isolamento voluntário.

Uruguai


O coronavírus ainda não chegou ao Uruguai, mas o governo do presidente Luis Lacalle Pou também reforçou controles, principalmente no Aeroporto Internacional de Carrasco, em Montevidéu. Cerca de 70 casos suspeitos foram descartados nos últimos dias. O diretor de Saúde do governo, Miguel Asqueta, recomendou medidas polêmicas, entre elas "não compartilhar o chimarrão", hábito essencial na vida da grande maioria dos uruguaios.

Chile

O Ministério da Saúde chileno já confirmou 23 casos do vírus, dos quais 14 estão na região de Santiago. O primeiro caso foi informado em 3 de março passado. Era uma pessoa de 33 anos, que estivera no Sudeste Asiático. O Palácio de la Moneda disse recentemente que o país está na Fase 2 do vírus e que seu plano é conter o avanço do coronavírus. Nesta fase, o isolamento de 14 dias é considerado fundamental no caso de pessoas que tenham estado em países europeus e asiáticos.

Paraguai

No Paraguai foram confirmados cinco casos de coronavírus. A Igreja suspendeu todas as atividades pastorais grupais, o Congresso convocou apenas "servidores essenciais", e o governo redobrou o controle nas fronteiras com Brasil e Argentina.

Peru

O Ministério da Saúde do Peru já comunicou 13 casos de coronavírus, e o presidente Martin Vizcarra ordenou a suspensão das aulas em escolas públicas e privadas, até, pelo menos, o final de março.

Venezuela

O país ainda não registrou oficialmente casos de contágio do vírus. No entanto, as suspeitas sobre uma eventual manipulação de dados são cada vez maiores. Um médico do estado de Zulia identificado como Freddy Pachano informou através das redes sociais que alguns casos estavam sendo analisados.

Pachano, que é diretor de pósgraduação de Medicina da Universidade de Zulia, foi ameaçado pelo governador Omar Prieto. Em declarações à imprensa local, Prieto ordenou abrir um processo judicial contra o médico argumentando que "trata-se de um caso de segurança do Estado que deve ser investigado".

Panamá

O Panamá já tem 12 casos de contágio de coronavírus e nesta quarta-feira confirmou a primeira morte no país, a segunda do continente.


    Veja Também

      Mostrar mais