Agência Brasil

O presídio Ary Franco, localizado em Água Santa, na zona norte do Rio de Janeiro têm 17 casos suspeitos de sarampo.

Leia também: Saúde atualiza para 200 os casos de infectados por coronavírus no país

presidiários em um presídio arrow-options
Reprodução/Agência Brasil/Wilson Dias
Ao todo, 17 casos da doença são considerados suspeitos. O sarampo é altamente transmissível, sendo transmitido por meio da fala, da tosse e do espirro.

Nenhum caso foi confirmado até o momento. Os internos que tiveram contato com eles estão em isolamento. As informações são da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

“A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária informa que as equipes da Coordenação de Saúde da Seap estão monitorando e trabalhando para tomar as medidas cabíveis para a prevenção de qualquer caso suspeito de sarampo ”, diz o órgão, em nota.

Os casos suspeitos de sarampo , de acordo com a secretaria, aguardam análise do Laboratório Central Noel Nutels (Lacen). O governo esclarece ainda que todos os privados de liberdade, aptos a receber a vacina, e servidores do Presídio Ary Franco já foram imunizados contra o sarampo.

Leia também: Não é só coronavírus: 5 doenças infecciosas que merecem atenção

Diante da situação, e também para conter a infecção pelo novo coronavírus (covid-19), a saída extramuros para visita periódica ao lar, programada para hoje (16), bem como de todas as saídas extramuros para trabalho, até o próximo dia 21 foram suspensas , de acordo com a Seap.

Pelos mesmos motivos, as visitas em todo o sistema prisional fluminense, conforme estabelecido no decreto nº 46.970 do governo do estado, também foram suspensas. A medida é válida por 15 dias prorrogáveis por igual período.

Sarampo

paciente com sarampo arrow-options
shutterstock
O sarampo em adultos tem sintomas mais brandos, mas deve ser diagnosticado o mais rápido possível para evitar sequelas

O sarampo é uma doença altamente contagiosa , transmitida por meio da fala, da tosse e do espirro. Os principais sintomas são mal-estar geral, febre, manchas vermelhas que aparecem no rosto e vão descendo por todo o corpo, tosse, coriza e conjuntivite.

Com o retorno da doença, o Brasil perdeu, no ano passado, o status de país livre do sarampo,  concedido pela Organização Mundial da Saúde em 2016.

Leia também: Coronavírus: revista diz que anti-inflamatórios podem agravar covid-19

Segundo o Ministério da Saúde, em 2019 foram registrados 18,2 mil casos de sarampo em 526 municípios. Em São Paulo, houve 14 mortes e em Pernambuco, uma. O maior número de casos também foi registrado em São Paulo, 16 mil.

    Veja Também

      Mostrar mais