imunidade
shutterstock
imunidade




A imunidade ao novo coronavírus (Sars-Cov-2) pode durar apenas dois ou três meses, o que afetaria as possibilidades de aplicação das novas vacinas em desenvolvimento. É o que aponta o estudo 'Avaliação clínica e imunológica de infecções assintomáticas por SARS-CoV-2', Universidade de Medicina de Chongqing, no sudoeste da China , publicado nesta segunda-feira (22) pelo portal digital privado Caixin.

Os pesquisadores compararam os resultados da detecção de testes no sangue de pacientes assintomáticos e de casos confirmados com sintomas, incluindo 37 infecções assintomáticas no Condado de Wanzhou em Chongqing. Os assintomáticos foram 22 mulheres e 15 homens com idades entre 8 e 75 anos, comparados com os 37 casos confirmados em proporção semelhante ao sexo e idade.

O estudo notou que, dentro de três semanas de infecção, em sua fase aguda, o grupo de pacientes assintomáticos apresentou um índice de IgM de 62,2% e um de IgG de 81,1%. Entre os pacientes com sintomas, a IgM foi de 78,4 por cento e a IgG foi de 83,8 por cento.

Dessa forma, o estudo concluiu que as infecções assintomáticas apresentam níveis mais baixos de bloqueio dos casos confirmados, embora sejam semelhantes nos dois grupos.

No entanto, o nível de grande número de pessoas infectadas apresentou uma diminuição significativa de dois meses após a infecção. Os níveis de bloqueio IgG em 93,3% do grupo assintomático e 96,8% do grupo sintomático diminuem precocemente no período de reabilitação, ou seja, 2 meses após a alta.

    Veja Também

      Mostrar mais