Estudo dá indícios de que derivado da maconha pode ajudar a melhorar sintomas da Covid-19
shutterstock
Estudo dá indícios de que derivado da maconha pode ajudar a melhorar sintomas da Covid-19

Um estudo realizado nos Estados Unidos apontou eficácia de um derivado da maconha , o CBD (canabidiol), no tratamento da  Covid-19 em ratos. No estudo, feito pelos pesquisadores da Augusta University, na Geórgia (EUA), foram descobertas evidências que mostraram que o uso do CBD auxilia no tratamento de severas inflamações pulmonares causadas pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2).

De acordo com os pesquisadores, houve um impacto positivo do CBD sobre a chamada "tempestade inflamatória", isto é, a resposta imunológica exagerada observada em parte dos indivíduos contaminados, que geralmente culmina em complicações pulmonares .

Os autores afirmam que "atualmente, além de medidas de auxílio, não há cura definitiva para Sars, ilustrando que é urgente que se encontre modalidades de terapia criativa e eficientes para tratar essa complexa condição".

O CBD consegue auxiliar diminuindo a produção de citocinas — proteínas produzidas pelo sistema imunológico — pró-inflamatórias e, assim, combatendo a tempestade. Ao reduzir citocinas específicas, é possível diminuir a inflamação e, dessa forma, cessar o desconforto e os danos respiratórios. 

Durante o estudo, roedores foram induzidos artificialmente a ter uma síndrome respiratória, com sintomas similares aos da Covid-19. Isso criou nos ratos uma tempestade inflamatória, com redução de oxigenação no sangue e problemas pulmonares. Neste momento, o CDB foi aplicado.

"Os sintomas foram totalmente ou parcialmente revertidos e retomaram os níveis normais após o tratamento com CBD", afirmaram os autores "O tratamento com CBD reverteu esses índices inflamatórios e restabeleceu a saúde dos roedores."

Os animais também tiveram aumento dos linfócitos , importantes células que combatem infecções. "As informações sustentam a noção de que o CBD pode reduzir a tempestade inflamatória e reduzir os efeitos de uma inflamação exagerada. Considerando todos os efeitos do CBD no corpo e como ele se distribui pelo corpo, é plausível que ele possa ser um candidato a se tornar diversas condições inflamatórias, entre elas a covid-19 e outros vírus que causam Sars", continuaram.

Com o sucesso do estudo, o próximo passo é observar a influência do CBD em humanos para verificar se a substância pode ser usada como um tratamento efetivo no combate a doentes da pandemia ou de outras comorbidades que afetam o sistema respiratório.

    Veja Também

      Mostrar mais