Careca
Pixabay
Estudo não conseguiu identificar qual a relação da doença com os casos mais graves de calvície

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de West Virginia (EUA), e publicado na última terça-feira (21) no Jornal da Academia Americana de Dermatologia, encontrou uma relação inusitada entre uma característica física específica e o grau de incidência da Covid-19 : quando maior é o grau de calvície, maiores são as chances de infecção pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2).

De acordo com os resultados do estudo, que dividiu os 2 mil participantes em grupos de acordo com o grau de calvície - que iam desde nenhuma até grande perda de cabelo -, homens calvos podem chegar a ser até 40% mais suscetíveis ao vírus.

Ao longo da pesquisa, 336 dos 2 mil voluntários testaram positivo para o novo coronavírus. Porém, a grande surpresa ocorreu ao realizar o comparativo de infecções com os graus de calvície : entre os 394 homes que disseram ter queda extrema de cabelo, 20,05% estavam infectados.

"A positividade da Covid-19 apresentou uma tendência maior com o aumento da calvície", apontou o estudo, ressaltando ainda que este índice foi de 15%, o menor registrado, para os que declararam não sofrer com nenhum tipo de problema de queda de cabelo.

Entrentanto, assim como não levou em conta outros dados dos participantes, o estudo não traz informações sobre quais as relações da calvície com a Covid-19 . Inclusive, os pesquisadores apontam que comorbidades anteriores, como diabetes, ou mesmo a idade dos participantes não puderam ser relacionadas como fatores decisivos para o resultados.

Até o momento, existem apenas teorias de que os hormônios masculinos que induzem a queda de cabelos poderiam facilitar a entrada do vírus no corpo, mas ainda não há qualquer evidência de que esta seja a ligação que comprove a tese.

    Veja Também

      Mostrar mais