vacina
shutterstock
Vacina deve ser testada em 40 mil voluntários após pressão por teste amplo


A comunidade científica está preocupada diante da aprovação da Sputnik V , vacina contra Covid-19 da Rússia. A vacina chamou atenção por ter passado apenas por dois meses de testes e não ter divulgado seus resultados com o mundo.


O país tenta encorajar que a vacina funciona, mesmo que tenha sido testada em poucas pessoas. Mas uma vacina que não funciona completamente, se aplicada em humanos, pode causar uma série de problemas. Um deles é a provocação de uma mutação no novo coronavírus no organismo humano de quem tomar a vacina.

Isto pode acontecer devido a uma possível pressão de evolução no patógeno do vírus, o que pode ser despertado pela vacina e pode piorar o quadro da Covid-19.

"Menos do que uma proteção completa poderia proporcionar uma pressão seletiva que leva o vírus a escapar de qualquer anticorpo que exista, criando linhagens que depois escapam de todas as reações a vacinas", afirmou o professor de virologia da Universidade Reading, no Reino Unido, Ian Jones.

A Rússia afirmou que, mesmo que confie em seus testes, realizará um novo teste com 40 mil pessoas. Estão incluídas pessoas que são consideradas de alto risco.

Para conseguir licenciamento internacional, o país deve passar pelas etapas estabelecidas pelas agências. Além disso, os resultados precisam ser mostrados.

    Veja Também

      Mostrar mais