conversa
shutterstock
Locais fechados demandam ainda mais cuidado com o distanciamento social

Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, alerta para a facilidade de disseminação do novo coronavírus (Sars-CoV-2) e para a importância do uso constante de máscaras. De acordo com a pesquisa, uma conversa normal, sem espirros ou tosse, pode espalhar gotas para até 2 metros de distância.

A gotículas de saliva são responsáveis pela condução do coronavírus de um indivíduo para outro, além de fixar o patógeno em superfícies. Segundo o estudo, o impulso de ar emitido ao falar cria um fluxo cônico, semelhante a um jato, que carrega o vírus.

Os pesquisadores contaram com ajuda de uma câmera de alta velocidade para filmar o movimento das gotículas iluminadaspor uma folha de laser, em um espaço interior com ventilação reduzida. Frases diferentes foram escolhidas, entre conversas simples e até cantigas de ninar, para que os cientistas pudessem apurar a diferença entre os tons de voz.

A análise concluiu que, além da ventilação do ambiente, o tempo da conversa também interfere na possibilidade de infecção. "Uma conversa normal por mais de 30 segundos pode espalhar o vírus para até 1,8 metro diante do interlocutor", escreveram os pesquisadores.

    Veja Também

      Mostrar mais