Vacina
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Resultados compreendem ainda a segunda fase de testes do imunizante

Nesta quinta-feira (19), novos resultados sobre os avanços dos realizados pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca para o desenvolvimento de uma  vacina contra a Covid-19 foram divulgados pela revista científica Lancet. Os testes da fase 2 mostraram que ela foi capaz de induzir resposta imune em adultos de todas as idades, até mesmo em idosos, grupo de risco da doença.

Segundo os pesquisadores, os anticorpos neutralizantes do novo coronavírus (Sars-Cov-2) foram identificados em 99% dos voluntários de todas os grupos etários em 28 dias após a dose de reforço. Eles ressaltaram também que houve um "pico" na quantidade de células T, vitais para o combate ao vírus, 14 dias após a primeira dose da vacina ChAdOx1

Ainda de acordo com a publicação, a vacina apresentou menos reações adversas em voluntários mais velhos do que nos mais jovens, mostrando que deve ser eficaz no combate ao vírus exatamente em uma das faixas etárias de maior risco. Foram apontadas como principais reações pelos participantes dores de cabeça, dor no local da aplicação e febre.

Apesar dos resultados positivos, a eficácia da vacina Oxford/AstraZeneca só poderá ser confirmada com a finalização dos testes da fase 3, que seguem sendo realizado em diversos países. No Brasil, os estudos são feitos em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o  governo já tem acordo para comprar cerca de 100 milhões de doses via Ministério da Saúde quando a eficácia do imunizante for comprovada.

    Veja Também

      Mostrar mais