roma
AFP
Governador italiano é vacinado e recebe críticas por furar fila; confira

O governador da região da Campânia, Vincenzo De Luca, 71 anos, recebeu a primeira dose da vacina anti-Covid neste domingo (27) no hospital de Cotugno, localizado em Nápoles, e disse que todos os italianos devem fazer o mesmo gesto.

"Eu me vacinei. Devemos todos fazer isso nas próximas semanas. É importante para vencer a batalha contra a Covid-19 e voltar à vida normal. Sem abaixar a guarda e respeitando as normas", escreveu em um post no Facebook com a foto do momento em que recebe a vacina da Pfizer e da BioNTech.

No entanto, a atitude do político de centro-esquerda recebeu uma série de críticas de políticos locais de direita e nacionais por ter "furado a fila" da imunização já que, com as primeiras 9.750 doses da vacina, os imunizados deveriam ser apenas os trabalhadores da saúde do país.

"Ele furou a fila. Não tinha nenhum título para receber a dose que deveria ir para um operador sanitário. Sem decência. Sem respeito. Nenhum governador se vacinou no Dia V. Arrogância no poder", disse o europarlamentar e diretor nacional do partido Força Itália, Fulvio Martusciello.

Já o prefeito de Nápoles, Luigi De Magistris, disse que a vacinação do governador "é inqualificável e um abuso de poder".

"O governador De Luca aproveita do seu papel institucional para vacinar-se quando a vacina, nas próximas semanas, deveria ser destinada exclusivamente, considerando as pouquíssimas quantidades disponíveis, para médicos, enfermeiros, operadores sanitários e idosos. A saúde do governador De Luca veio, infelizmente, acima do povo da Campânia. Deveria se envergonhar e pedir desculpas", acusou De Magistris.

Segundo o prefeito da capital da Campânia, o momento dos políticos darem exemplo "vai chegar" em breve, quando os prioritários forem imunizados, e que tomar a BNT 162b agora "parece ser algo de um privilegiado de uma casta arrogante que abusa, com fim de propaganda, do seu papel institucional".

Quem também criticou a vacinação foi o líder do partido de extrema-direita Liga, Matteo Salvini, que afirmou que "De Luca furou a fila e tirou a vacina de alguém que tinha mais necessidade" por "exibicionismo".

"Médicos, enfermeiros, pessoal sanitário, forças de ordem e pessoas frágeis merecem respeito e seriedade", acrescentou Salvini em nota oficial.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários