oxigenio
Ministério da Saúde/Divulgação
Demanda de oxigênio só deve ser suprida na quarta ou quinta-feira em Manaus

O Ministério da Saúde afirmou neste domingo que a demanda por oxigênio em Manaus só deve ser suprida na próxima quarta ou quinta-feira. Em crise, a capital do Amazonas sofre com o desabastecimento do gás. Pacientes infectados pela Covid-19 morreram por falta do insumo, gerando o caos no sistema de saúde.

Ainda de acordo com a pasta, de sábado para domingo foi possível suprir pouco mais da metade do oxigênio "excedente" - volume a mais que não era produzido antes da crise.

"O governo federal, em articulação com a iniciativa privada, entes públicos e as forças armadas, conseguiu nas últimas 24 horas que a demanda excedente diária de Manaus por oxigênio caísse em 63,83%, e projeções indicam que o suprimento do gás será suprido entre quarta e quinta-feira", diz a nota da pasta.

Na primeira onda de Covid-19, no ano passado, o consumo de oxigênio era de 28 mil metros cúbicos em Manaus, patamar muito acima do registrado antes da pandemia. Agora, segundo o Ministério da Saúde, a demanda já chegou a 75 mil metros cúbicos diários, quase três vezes a capacidade de produção local.

Você viu?

De acordo com o Ministério da Saúde, houve "entendimentos" com produtores do gás, transportadores terrestres, aéreos e fluviais para o fornecimento, "de imediato", de "ao menos 30 mil m3". "E esse volume equivale aos 63,83% que ultrapassaram a capacidade instalada".

A pasta acrescenta que "um total de 186 mil m3 de oxigênio vindos da Venezuela ajudarão a acabar com a carência do gás no Amazonas".

"Caminhões-tanque vindos do país vizinho entregarão 36 mil m3 comprados pela empresa White Martins de uma companhia privada daquela nação. E mais um carregamento com 150 mil m3 foi enviado pelo estado venezuelano de Bolívar à governação do Amazonas assegurará tranquilidade aos amazonenses", diz a pasta.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários