CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilâcia Sanitária) fez um alerta, nesta quarta-feira (27), aos profissionais da saude responsáveis pela aplicação da CoronaVac , para que seja aspirado do frasco multidose a quantidade individual de 0,5 ml.

Na primeira remessa de 6 milhões de doses, aprovadas pela Anvisa no dia 17 deste mês, as doses embaladas pelo laboratório chinês Sinovac vieram envasadas em frascos monodose de 0,5 ml cada.

Já na segunda remessa, de 4,1 milhões de doses, as vacinas foram envasadas pelo Instituto Butantan e, diferentemente das primeiras, foram envasadas em fraco-ampola com 10 doses.

Ao portal Uol , o Butantan explicou que "cada frasco possui nominalmente, 10 doses, mas que, seguindo as boas práticas de fabricação, é envasado um volume maior que, se retirado com cuidado das ampolas pelos profissionais de saúde, pode render duas doses a mais".

Segundo o Butantan, cada ampola de vacina tem 6,2 ml, o que pode contribuir para imunizar "um número maior de pessoas a cada frasco aberto".

Após ser tirada do invólucro, diz a Anvisa, a vacina deve ser aplicada em até oito horas, desde que o frasco, após ser aberto, seja armazenado em condições assépticas e refrigerado entre 2ºC e 8ºC.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários