Gustavo Mendes, gerente geral de medicamentos da Anvisa
Divulgação
Gustavo Mendes, gerente geral de medicamentos da Anvisa

As discussões para liberação de testes das vacinas da Pfizer e Janssen em adolescentes no Brasil estão em fase final na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A afirmação foi feita pelo gerente geral de medicamentos da agência, Gustavo Mendes, em entrevista à GloboNews na noite deste domingo (4).

"A gente já tem a Pfizer e a Janssen com estratégias envolvendo adolescentes. A gente avaliou essas informações e viu que é possível. Estamos em discussão final para essa aprovação, mas vimos que os dados suportam, sim, essas aprovações dos testes nessa população", declarou.

Mendes explicou que, para esse tipo de pedido, a Anvisa avalia diferentes aspectos relacionados à segurança. No caso das vacinas para crianças e adolescentes, são levadas em consideração as diferenças metabólicas e de fisiologia, que exigem testes específicos neste público.

"Acreditamos que em breve vamos ter esses estudos sendo conduzidos no Brasil, junto com as novas propostas de vacina que estão vindo", afirmou, lembrando que além das vacinas para adolescentes da Pfizer e da Janssen, há novas iniciativas de vacinas nacionais e estrangeiras que requisitam testes no país.

As sete vacinas contra a Covid-19 com contratos ou negociações com o Brasil já fizeram estudos clínicos em crianças e adolescentes em outros países. A Pfizer, por exemplo, já publicou o estudo final da pesquisa com adolescentes.

Você viu?

A Janssen, que é uma empresa do grupo Johnson & Johnson, tem testes no exterior e já pediu autorização para pesquisa no país.

Outras vacinas na mira

Quando mencionou outras iniciativas de vacinas que estão no radar da Anvisa, Mendes fez referência a dois imunizantes que estão sendo desenvolvidos no Brasil e outros dois chineses.

Segundo o gerente da Anvisa, a agência está acompanhando o desenvolvimento da Butanvac, a vacina nacional do Instituto Butantan, e a Versamune, uma parceria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo de Ribeirão Preto (FMRP-USP) com a Farmacore Biotecnologia e a PDS Biotechnology, dos Estados Unidos.

Ainda de acordo com Mendes há outras duas vacinas chinesas que pretendem fazer estudos clínicos da fase 3 no país. A Anvisa ainda analisa esses pedidos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários